Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3053
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.date.accessioned2016-08-29T14:10:19Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-29T14:10:19Z-
dc.identifier.citationOLIVEIRA, D. C., O Atendimento a Envolvidos em Violência:Concepções de Psicólogos sobre Gênero e Violência Conjugalpor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/3053-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleO Atendimento a Envolvidos em Violência:Concepções de Psicólogos sobre Gênero e Violência Conjugalpor
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractO Movimento Feminista contribuiu para o debate público sobre gênero e violência conjugal. A violência conjugal foi discutida a partir da concepção dualista: homem agressor versus mulher- vítima e entendida como violência contra mulher. A emergência de produções acadêmicas que analisavam a violência conjugal por enfoques teóricos que contestavam essa visão dualista possibilitou o entendimento do tema por meio dos múltiplos papéis de homens e mulheres numa relação afetiva violenta. O referencial relacional não ignora as produções culturais em torno do gênero e da etnia, que produzem diferenças de poder entre o casal, entretanto defende que a compreensão das violências entre cônjuges não pode ser reduzida a idéia de subalternidade feminina. Considerando esses contextos, o estudo investigou concepções de gênero e violência conjugal dos nove psicólogos que trabalham em programas públicos que atendem envolvidos em violência conjugal na Grande Vitória, por meio de entrevista semi estruturada que abordou os seguintes temas: atendimento psicológico, gênero, conjugalidade e violência conjugal. As práticas psicológicas se caracterizam por uma diversidade de atendimentos: atendimentos clínicos, a terapia de casal, as orientações psicológicas, os trabalhos de grupos e por trabalhos em parceria com outras especialidades principalmente o direito e o serviço social. Destacam-se os seguintes significados: gênero foi considerado uma relação de poder entre homen e mulheres, construída socialmente, ainda fortemente influenciada pelos papéis tradicionais homem provedor e mulher - cuidadora. Em geral, a violência conjugal é entendida como um processo de opressão mediado por relação de poder desigual entre homens e mulheres, expresso por agressões físicas e psicológicas. Os psicológicos assumem portanto, uma postura pró-feminista, existindo basicamente dois estilos de ação. Uma parte desenvolve ações referenciadas aos princípios do movimento feminista, assumindo exclusivamente um papel de defesa da mulher violentada, esses entrevistados atendem predominantemente mulheres e demonstram em seus discursos influências marcantes de uma concepção dualista. A outra parcela de psicólogos também considerada as assimetrias entre os gêneros, porém constrói as práticas psicológicas pela mediação de conflitos entre homens e mulheres, considerando claramente os custos das cobranças de gênero e as conseqüências da violência conjugal para homens e mulheres aproximando-se do referencial relacional.por
dcterms.creatorOLIVEIRA, D. C.
dcterms.issued2005-07-22
dcterms.subjectViolência conjugalpor
dcterms.subjectGêneropor
dcterms.subjectRelações Conjugaispor
dcterms.subjectAtendpor
dcterms.subjectPsicpor
dcterms.subjectpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Psicologiapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Psicologiapor
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_470_.pdf606.49 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.