Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3067
Título:  Um Senhor de Família : Representações Sociais de Paternidade de Jovens Pais e Não Pais
Autor(es): DRAGO, A. B.
Orientador: Menandro, M.C.S.
Palavras-chave: paternidade
maternidade
juventude
representação social
Data do documento: 17-Ago-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: DRAGO, A. B., Um Senhor de Família : Representações Sociais de Paternidade de Jovens Pais e Não Pais
Resumo: Por também ser uma construção social, a noção de masculino e de feminino não estão resguardadas de influências dos contextos histórico, socioeconômico e cultural na qual se encontram. Para melhor compreender o fenômeno da paternidade sob a perspectiva masculina, sobretudo em uma fase com poucos consensos (a juventude), realizamos um estudo com duas frentes. Em uma delas, entrevistamos quatro jovens que se tornaram pais entre os 17 aos 24 anos, sendo dois de inserção socioeconômica média e dois de inserção socioeconômica baixa. Neste estudo, além de identificar as representações sociais de paternidade e maternidade, também nos interessou desvendar as práticas parentais e as mudanças ocorridas com o advento da paternidade para estes jovens. Ao mesmo tempo, aplicamos um questionário a 60 rapazes também nesta faixa etária, com o objetivo de captar quais as suas representações sociais de paternidade e maternidade, por meio da técnica de evocação livre. Utilizamos a Teoria das Representações Sociais por avaliar que ela nos possibilita captar os conteúdos estáveis e centrais nas representações, bem como sua mobilidade e articulação com as práticas sociais. Estas duas formas de abordar o fenômeno, conjugadas, decorrem também de uma preocupação em observar a existência da noção da nova paternidade, destacada em alguns estudos; bem como identificar possíveis semelhanças e divergências nas representações desses jovens (de uma mesma geração) levando em consideração, além de sua experiência enquanto pai, as posições econômicas e socioculturais em que se encontram. O software EVOC e o método fenomenológico foram utilizados para a análise dos dados. Observamos que as representações dos sujeitos entrevistados permanecem bastante tradicionais, embora tenhamos visto elementos que remetem à questão da nova paternidade. Além disso, também observamos que a vivência da paternidade trouxe alguns elementos diferenciados do que seja paternidade e maternidade para jovens pais e não pais.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3067
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4920_agnes_bonfa_drago_dissertacao_mestrado.pdf1.48 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.