Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3118
Título: Processos Identitários e Saúde Reprodutiva: Estudos com Um Grupo de Doulas
Autor(es): DUARTE, C. N. B.
Orientador: SOUZA, L. G. S.
Palavras-chave: cuidado pré-natal
doulas
saúde reprodutiva
atitudes
femi
Data do documento: 22-Fev-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: DUARTE, C. N. B., Processos Identitários e Saúde Reprodutiva: Estudos com Um Grupo de Doulas
Resumo: Tendo em vista a importância do apoio oferecido às mulheres pelas doulas, e sua crescente atuação no cenário mundial e brasileiro a pesquisa relatada nesta dissertação buscou investigar processos identitários de um grupo de doulas que atua em conjunto, tendo como base a Teoria da Identidade Social. Para isso foram realizados dois estudos com um grupo de cinco doulas, com nome fictício Bem Nascer, atuante em uma cidade do estado do Espírito Santo. Elas concordaram, voluntariamente, em participar desta pesquisa. Os dois estudos são apresentados em formato de artigo para apresentar os resultados e discussões de forma estruturada. O primeiro artigo apresenta os resultados obtidos através de observação participante, realizada em dez encontros mensais sobre gestação e parto, promovidos pelo grupo Bem Nascer junto a gestantes. Foi produzido um diário de campo, cujos dados são analisados a partir do método hermenêutico-dialético (Minayo, 1992). Foram identificadas três categorias: 1) Descrição dos encontros; 2) Cenas de interações com o endogrupo; 3) Cenas de interações com exogrupos. Observou-se que as doulas, nas interações com as gestantes, exerciam papeis tais como: amigas; instrutoras-esclarecedoras; profissionais; militantes feministas; e que valorizavam homens pró-parto e médicos humanizados em detrimento de homens tradicionais e médicos tecnocratas. Infere-se que essa valorização ocorre por categorização cruzada. Verificou-se que as contribuições das doulas para a saúde reprodutiva eram condizentes com diretrizes do sistema público de saúde brasileiro e que elas disseminavam ideais feministas para mulheres de classe média. O segundo artigo utiliza entrevistas individuais semiestruturadas, analisadas através da análise de conteúdo temática (Bardin, 1977), que permitiu identificar 134 temas e seis categorias. Os processos identitários das doulas estão ligados à militância feminista, ao movimento de humanização do parto, e ao pertencimento a um grupo de trabalho que constitui laços profissionais, de amizade e confiança. Há atitudes negativas quanto à maioria dos profissionais de medicina, com exceção daqueles percebidos como humanizados. Observa-se que doulas estão construindo processos identitários ligados ao feminismo; e que o ativismo, o grupo de trabalho das doulas e a promoção de encontros com mulheres grávidas constituem estratégias de mudança social, contribuindo para a transformação da assistência à saúde e das relações de gênero. Palavras-chave: cuidado pré-natal; doulas; saúde reprodutiva; atitudes; feminismo; identidade social.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3118
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_8336_Duarte, Camila Nogueira Bonfim - Dissertação versão digital.pdf790.06 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.