Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3118
Título: Processos identitários e saúde reprodutiva: estudos com um grupo de doulas
Autor(es): Duarte, Camila Nogueira Bonfim
Orientador: Souza, Luiz Gustavo Silva
Palavras-chave: cuidado pré-natal
doulas
saúde reprodutiva
atitudes
feminismo
identidade social
Data do documento: 22-Fev-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Tendo em vista a importância do apoio oferecido às mulheres pelas doulas, e sua crescente atuação no cenário mundial e brasileiro a pesquisa relatada nesta dissertação buscou investigar processos identitários de um grupo de doulas que atua em conjunto, tendo como base a Teoria da Identidade Social. Para isso foram realizados dois estudos com um grupo de cinco doulas, com nome fictício Bem Nascer, atuante em uma cidade do estado do Espírito Santo. Elas concordaram, voluntariamente, em participar desta pesquisa. Os dois estudos são apresentados em formato de artigo para apresentar os resultados e discussões de forma estruturada. O primeiro artigo apresenta os resultados obtidos através de observação participante, realizada em dez encontros mensais sobre gestação e parto, promovidos pelo grupo Bem Nascer junto a gestantes. Foi produzido um diário de campo, cujos dados são analisados a partir do método hermenêutico-dialético (Minayo, 1992). Foram identificadas três categorias: 1) Descrição dos encontros; 2) Cenas de interações com o endogrupo; 3) Cenas de interações com exogrupos. Observou-se que as doulas, nas interações com as gestantes, exerciam papeis tais como: amigas; instrutoras-esclarecedoras; profissionais; militantes feministas; e que valorizavam homens pró-parto e médicos humanizados em detrimento de homens tradicionais e médicos tecnocratas. Infere-se que essa valorização ocorre por categorização cruzada. Verificou-se que as contribuições das doulas para a saúde reprodutiva eram condizentes com diretrizes do sistema público de saúde brasileiro e que elas disseminavam ideais feministas para mulheres de classe média. O segundo artigo utiliza entrevistas individuais semiestruturadas, analisadas através da análise de conteúdo temática (Bardin, 1977), que permitiu identificar 134 temas e seis categorias. Os processos identitários das doulas estão ligados à militância feminista, ao movimento de humanização do parto, e ao pertencimento a um grupo de trabalho que constitui laços profissionais, de amizade e confiança. Há atitudes negativas quanto à maioria dos profissionais de medicina, com exceção daqueles percebidos como humanizados. Observa-se que doulas estão construindo processos identitários ligados ao feminismo; e que o ativismo, o grupo de trabalho das doulas e a promoção de encontros com mulheres grávidas constituem estratégias de mudança social, contribuindo para a transformação da assistência à saúde e das relações de gênero.
Given the importance of the support offered to women by doulas and their increasing role in birth support around the world and in Brazil, this dissertation reports a research which aimed to investigate identity processes of a doula group and adopted Social Identity Theory. To this end two studies were conducted with a group of five doulas, referred to as “Bem Nascer”, active in a city of the state of Espirito Santo. They agreed voluntarily to participate in this research. The two studies are presented in article format to best present the results and structured the discussions. The first article presents the results obtained through participant observation of ten workshops about pregnancy and childbirth, promoted by the group “Bem Nascer” with pregnant women. We collected field notes and analyzed the data with the hermeneutic-dialectic method. We identified 3 categories: 1) Descriptions of the workshops; 2) In-group interactions scenes; 3) Out-group interactions scenes. We observed that the doulas, when interacting with the pregnant women, performed roles such as: friends, instructors, professionals, feminist activists, and that they attributed positive characteristics to “pro-humanized birth men” and to “humanized physicians” in contrast to “traditional men” and to “technocratic physicians”. We inferred that such attribution of value occurs on the basis of crossed categorization. We verified that the practices of the doulas in the field of reproductive health were suitable to the guidelines of the Brazilian public health system and that they disseminated feminist ideals to middleclass women. For the second article, we administered semi-structured interviews with five doulas. We identified 134 themes and 6 categories in the interviews through thematic content analysis. The doulas construct their identity based on feminist activism, the humanization of birth movement and their own work group, which provides trust-based relationships, professional network and friendship. The doulas held negative attitudes towards most physicians, with the exception of those perceived to be humanized. We discuss that the investigated doulas adopted feminism to construct identity processes and that their activism, their work group and their regular encounters with pregnant women are strategies of social change, which contribute to transform health practices and gender relations.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3118
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_8336_Duarte, Camila Nogueira Bonfim - Dissertação versão digital.pdf790.06 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.