Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3121
Título: Parentalidade Prematura: Um Estudo Sob a Ótica da Teoria das Representações Sociais
Autor(es): BARROS, S. M. M.
Orientador: TRINDADE, Z. A.
Palavras-chave: representação social
maternidade
paternidade
parentalidade
Data do documento: 18-Dez-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BARROS, S. M. M., Parentalidade Prematura: Um Estudo Sob a Ótica da Teoria das Representações Sociais
Resumo: A maneira como os casais reagem e enfrentam o nascimento prematuro de um filho depende de como compreendem e vivenciam esta nova experiência. Esta, por sua vez, está associada aos significados atribuídos à maternidade e à paternidade, ou seja, às representações de maternidade e paternidade. Partindo desse pressuposto, a presente pesquisa teve como objetivo compreender, sob a luz da Teoria das Representações Sociais (TRS), a experiência de casais cujos recém-nascidos prematuros encontravam-se internados em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN). Foram realizadas entrevistas individuais com roteiro semi-estruturado com 20 casais cujos filhos estavam internados em UTINs de hospitais de Recife-PE. O roteiro de entrevista abarcou os seguintes temas: gravidez/parto; diagnóstico do recém-nascido; filho; maternidade; paternidade; impactos da experiência no relacionamento conjugal e estratégias de enfrentamento. Para a análise dos dados recorreu-se à proposta metodológica da Grounded Theory, a qual permite a elaboração de uma teoria sobre os dados por meio da construção de estruturas sobre fenômenos identificados ao longo do processo de análise. Três fenômenos emergiram da análise de dados: Entrando em contato com uma situação de alto-risco; Lidando diariamente com a dor e Aprendendo a ser pai e mãe prematuros. Tais fenômenos permitiram compreender a dinâmica das representações sociais, sobretudo de maternidade e paternidade, na experiência dos casais estudados. As representações sociais atuaram na interpretação da nova realidade; propiciaram e sofreram influência de sentimentos e emoções de pais e mães e orientaram as estratégias de enfrentamento. Ao mesmo tempo, essas representações sofreram influências constantes do contexto, das relações estabelecidas neste e das estratégias de enfrentamento adotadas pelos casais. A presente pesquisa psicossocial alerta para a importância de se considerar o papel do contexto sócio-cultural na investigação das experiências vivenciadas pelos sujeitos na arena da saúde. Pretende também subsidiar propostas de intervenção voltadas aos pais e mães prematuros com o objetivo de facilitar o enfrentamento da situação e a aprendizagem do exercício da parentalidade prematura. Palavras-chave: recém-nascido prematuro, estratégias de enfrentamento.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3121
Aparece nas coleções:PPGP - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_2471_.pdf901.99 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.