Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3121
Título: Parentalidade "prematura": um estudo sob a ótica da teoria das representações sociais
Autor(es): Barros, Sibelle Maria Martins de
Orientador: Trindade, Zeidi Araujo
Palavras-chave: maternidade
paternidade
parentalidade
Data do documento: 18-Dez-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A maneira como os casais reagem e enfrentam o nascimento prematuro de um filho depende de como compreendem e vivenciam esta nova experiência. Esta, por sua vez, está associada aos significados atribuídos à maternidade e à paternidade, ou seja, às representações de maternidade e paternidade. Partindo desse pressuposto, a presente pesquisa teve como objetivo compreender, sob a luz da Teoria das Representações Sociais (TRS), a experiência de casais cujos recém-nascidos prematuros encontravam-se internados em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN). Foram realizadas entrevistas individuais com roteiro semi-estruturado com 20 casais cujos filhos estavam internados em UTINs de hospitais de Recife-PE. O roteiro de entrevista abarcou os seguintes temas: gravidez/parto; diagnóstico do recém-nascido; filho; maternidade; paternidade; impactos da experiência no relacionamento conjugal e estratégias de enfrentamento. Para a análise dos dados recorreu-se à proposta metodológica da Grounded Theory, a qual permite a elaboração de uma teoria sobre os dados por meio da construção de estruturas sobre fenômenos identificados ao longo do processo de análise. Três fenômenos emergiram da análise de dados: Entrando em contato com uma situação de alto-risco; Lidando diariamente com a dor e Aprendendo a ser pai e mãe prematuros. Tais fenômenos permitiram compreender a dinâmica das representações sociais, sobretudo de maternidade e paternidade, na experiência dos casais estudados. As representações sociais atuaram na interpretação da nova realidade; propiciaram e sofreram influência de sentimentos e emoções de pais e mães e orientaram as estratégias de enfrentamento. Ao mesmo tempo, essas representações sofreram influências constantes do contexto, das relações estabelecidas neste e das estratégias de enfrentamento adotadas pelos casais. A presente pesquisa psicossocial alerta para a importância de se considerar o papel do contexto sócio-cultural na investigação das experiências vivenciadas pelos sujeitos na arena da saúde. Pretende também subsidiar propostas de intervenção voltadas aos pais e mães prematuros com o objetivo de facilitar o enfrentamento da situação e a aprendizagem do exercício da parentalidade prematura.
The way couples react and cope with the premature birth of a child depends on how they comprehend and live this new experience. This, in turn, is associated to the meanings assigned to motherhood and fatherhood, or the representations of motherhood and fatherhood. Stemming from this presumption, the present research aimed to understand, under the light of Social Representation Theory (SRT), the experience of couples whose premature newborns had been hospitalized in a Neonatal Intensive Care Unit (NICU). Individual interviews with a semi structured script were performed with 20 couples whose children were under NICU treatment in Recife (Pernambuco state, Brazil). The interview script covered the following themes: pregnancy/parturition; newborn diagnostics; son; motherhood, fatherhood, impacts of the experience on conjugal relationship and coping. For data analysis was chosen the methodology proposal of the Grounded Theory, which allows the formulation of a theory about the data through the construction of structures on identified phenomena throughout the analysis process. Three phenomena emerged from the data analysis: Coming to contact with a high-risk situation; Coping daily with the pain; and Learning to be premature father and mother. Such phenomena allowed comprehending the dynamics of social representations, mainly on motherhood and fatherhood, in the experience of the studied couples. The social representations acted in the interpretation of the new reality; provided and were influenced by feelings and emotions of fathers and mothers; and guided the coping strategies. At the same time, these representations suffered constant influences of the context, the established relations in it, and of the coping strategies adopted by the couples. The present psychosocial research alerts to the importance of considering the role of the sociocultural context in the investigation of the experiences lived by the subjects regarding health. It is also intended to subsidize intervention proposals aimed to “premature” fathers and mothers with the objective of facilitating coping with the situation and learning while exercising the “premature” parenthood.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3121
Aparece nas coleções:PPGP - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_2471_.pdf901.99 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.