Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3135
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorAlencar, Heloisa Moulin de-
dc.date.accessioned2016-08-29T14:10:39Z-
dc.date.available2016-07-11-
dc.date.available2016-08-29T14:10:39Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/3135-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.subjectMoral-
dc.subjectÉticapor
dc.subjectProjeto de vidapor
dc.subjectIdentidade surdapor
dc.subjectEthicaleng
dc.subjectHumiliationeng
dc.subjectProject lifeeng
dc.subjectDeaf identityeng
dc.subjectHigher educationeng
dc.subjectMoralefr
dc.subjectÉthiquefr
dc.subjectHumiliationfr
dc.subjectProjet de viefr
dc.subjectIdentité sourdefr
dc.subjectL'enseignement supérieurfr
dc.titleEcos do silêncio : juízos de surdos no âmbito da formação superior sobre projetos de vida e humilhação nas perspectivas moral e éticapor
dc.typedoctorThesiseng
dc.subject.udc159.9-
dc.subject.br-rjbnSurdez - Aspectos morais e éticospor
dc.subject.br-rjbnSurdos - Aspectos moraispor
dc.subject.br-rjbnHumilhaçãopor
dc.subject.br-rjbnEnsino superiorpor
dcterms.abstractInvestigamos as perspectivas moral e ética de pessoas surdas por meio da análise da possível relação entre as características da vida presente, as projeções de si no futuro e a experiência pessoal de humilhação no passado. Participaram da pesquisa 16 surdos que haviam se matriculado no ensino superior, divididos igualmente quanto ao sexo, distribuídos nas seguintes faixas etárias: 21 25 anos (n=4); 26 30 anos (n=8); 31-35 anos (n=1); 36-40 anos (n=3). Realizamos entrevistas individuais por meio do método clínico piagetiano em língua de sinais, as quais foram filmadas na íntegra para posterior transcrição dos dados. A discussão dos resultados foi composta por cinco estudos interdependentes que dizem respeito a: 1) características que compõem a identidade surda; 2) opções morais e éticas sobre a atuação profissional e a formação acadêmica; 3) projeções de si no futuro; 4) exemplos de humilhação pessoal; 5) influência da humilhação nos projetos de vida. Cada um dos estudos apresentados nessa tese, com exceção do primeiro, contemplou o Grau de Consideração de Si e do Outro (GCSO), à medida que se verificavam explicações baseadas na conexão com o outro, na desconexão do outro e na inclusão de si, conforme a natureza do objeto investigado. Considerando as respostas e as justificativas mais frequentes, constatamos que, dentre as características dos participantes, todos são surdos pré-linguísticos, sendo que a maioria conhece a causa da surdez, referindo-se a doenças, hereditariedade e intervenção médica mal sucedida. Apenas uma entrevistada adquiriu a língua de sinais sem atraso por ser filha de pais surdos, enquanto para sete participantes houve atraso de 17 a 19 anos. Esta aquisição tardia foi beneficiada principalmente pelo contato com amigos surdos e com pessoas da comunidade surda, contribuindo para a constituição da identidade de transição. O relacionamento afetivo é, em especial, com pessoas surdas, posto que seis solteiros e três casadas estavam com um(a) parceiro(a) surdo(a). Em relação às opções morais e éticas sobre a atuação profissional e a formação acadêmica, a maior parte dos universitários atua na divulgação da língua de sinais como instrutores de LIBRAS e na educação como professores de surdos devido à conexão com a comunidade surda; no entanto, também foram apresentados argumentos do tipo autocentrado, com elementos de reconhecimento de si com valor positivo. Sobre os cursos em que ingressaram, há matrículas em mais de uma graduação por participante, prevalecendo escolhas em Letras-LIBRAS e em Pedagogia. Quanto à situação do primeiro curso, sete participantes concluíram, sete estavam cursando e dois participantes abandonaram a primeira graduação. A escolha por esse curso foi baseada em argumentos conectados com a comunidade surda e autocentrados com base no reconhecimento positivo de si. Esse tipo de argumento foi principalmente mencionado pelos entrevistados que cursavam a segunda graduação. A investigação sobre os projetos de vida revela que os participantes se interessam pela própria atividade profissional bem como pelo investimento na formação acadêmica, seguido pelo relacionamento afetivo e pela aquisição de bens materiais. Todavia, argumentos do tipo autocentrado são especialmente considerados em relação às próprias características, necessidades e potencialidades para atuar sobre o mundo, mas também há menção a conteúdos hedonistas. A conexão está presente, sobretudo em relação a uma coletividade, pois há argumentos conectados com a comunidade surda e com a sociedade. No estudo sobre as experiências de humilhação, constatamos que esta é tema reconhecido pelos participantes, sendo igualmente as experiências frequentes, exceto para uma universitária em cuja história de vida inexistem situações de rebaixamento. Os demais relatam situações de exclusão, com destaque para a educacional, injúria, calúnia e difamação e impossibilidade de comunicação, justificadas por meio de conteúdos de impotência e de condição. Dentre os argumentos, foi nítida a desconsideração do outro pelos participantes, sendo que o principal tipo diz respeito a pessoas próximas desconectadas de si e à sociedade desconectada de si. Os exemplos de humilhação considerados como os mais importantes pelos entrevistados são de exclusão, injúria, impossibilidade de comunicação, incompreensão e/ou intolerância e ausência de apoio. Para investigar a relação de influência entre humilhação e projetos de vida, primeiramente verificamos que o tema da influência vincula-se à ideia de algo positivo. Assim, para a maioria, a humilhação, cujo teor é negativo, não poderia influenciar os projetos de vida valorizados pelos participantes como planos de transformação positiva de si e de uma coletividade. Dentre os que não reconheceram tal influência, os argumentos foram principalmente autocentrados com aspectos do reconhecimento de si com valor positivo. Entretanto, nesses casos constatamos a influência ao comparar os tipos de humilhação e os tipos de projetos elencados. Quanto àqueles que identificaram relação entre a humilhação e os projetos de vida, há destaque para os planos de atividade profissional, inclusão social dos surdos e relacionamento afetivo como alvos de influência, sendo as principais justificativas de conexão. A análise do GCSO nos estudos em que se aplicou possibilita a constatação de que o mundo dos possíveis se revela vasto quando sondamos as projeções de si no futuro, pois é nesse âmbito que se encontra o número mais significativo de justificativas. Os argumentos conectados aparecem em maior número quando se trata de explicar a atuação profissional e a formação acadêmica no presente, e aparecem em segundo lugar entre os argumentos dos projetos de vida. Atuar no presente e projetar-se no futuro são formas de cooperar com os seus iguais, reforçando principalmente a educação de surdos e a divulgação da língua de sinais para a sociedade. Os argumentos autocentrados são imediatamente mencionados ao se tratar de atividade profissional e da formação superior em curso, ganhando destaque nas justificativas dos projetos de vida, especialmente no que diz respeito ao reconhecimento de si como um ser capaz de agir no mundo. Os argumentos conectados, por sua vez, são menos expressivos na humilhação pessoal; no rebaixamento, as justificativas são principalmente caracterizadas pela desconexão de si. Os resultados indicam que os participantes elaboram projetos de vida em uma perspectiva ética, incluindo a si próprios como também o outro, com especial atenção para a comunidade surda, mas também com pretensão de inclusão da sociedade. Há ligação entre o presente, o passado e o futuro, considerando que a experiência humilhante de exclusão educacional ainda se reproduz no presente, quando os participantes investem na própria formação superior para futura atuação profissional, mas enfrentam o despreparo dos professores ouvintes quanto a adequar seu método de trabalho à inclusão de surdos no ensino superior. Esperamos que esse estudo seja útil à discussão sobre políticas públicas na área da educação especializada para surdos, como também contribua com a ampliação do conhecimento científico sobre a perspectiva moral e ética desse público.por
dcterms.abstractIn this thesis, we investigate the moral and ethical perspective of deaf people by analyzing the possible relationship between the characteristics of the present life, the itself projection into the future and the personal experience of humiliation in the past. This study involved 16 prelinguistic deaf students of higher education, between 21-40 years, divided equally as to sex and individually interviewed through the Piagetian clinical method in sign language. Considering the frequent data, for seven subjects there was delay of 17 to 19 years in acquisition of sign language, which was favored mainly by contact with deaf friends and people in the deaf community, contributing to the formation of identity transition. Almost all respondents active in the dissemination of sign language as Libras (Brazilian Sign Language) instructors and as teachers of the deaf due to the connection with the deaf community. However were also presented arguments such self-centered, with elements of self-recognition with a positive value. About the colleges, choices prevail in Linguistics and Literature-Libras and Pedagogy. The choice of this course was based on arguments connected with the deaf community and self-centered based on the positive recognition of each other. The research on the life projects reveals that participants are interested in their own ‘professional activity’ as well as investment in the ‘academic formation’ followed by ‘affective relationship’ and the ‘material acquisition’. However, arguments such as self-centered are specially considered in relation to the characteristics, needs and potential to act upon the world, but there is mention to content hedonists. The connection is present mainly in relation to deaf community and society. In the study on the experiences of humiliation category, that is recognized by the participants and also experiences frequent. There are reports of ‘exclusion’, with emphasis on education, ‘injury, calumny and defamation’ and ‘impossibility of communication’, justified by the contents of ‘impotence’ and ‘condition’. Among the arguments raised by respondents was a clear disregard for the other participants, and the main type was ‘disconnected close people from self’ and ‘society disconnected from itself'. Regarding the relationship of influence between humiliation and life projects, for most of participants, the humiliation with negative content could not influence the life projects valued by the participants, influence found in the comparative analysis between the types of humiliation and projects listed. In relation to those who identify a relationship between humiliation and life projects, stand out the plans of ‘professional activity’, ‘social inclusion of deaf’ and ‘affective relationship’ as targets of influence, with the main justifications of connection. The deaf participants made plans for their lives in an ethical perspective, including themselves as well as the other, with special attention to the deaf community, but also claim to inclusion of the society. There is a connection between the present, the past and the future, whereas the humiliating experience of educational exclusion still plays in the present, when participants invest in their own higher education for future professional activities. We hope this study will be useful to discuss about public policies in the field of specialized education for the deaf, but also contributes to the expansion of scientific knowledge about the moral and the ethical perspectives of this people.eng
dcterms.abstractLa présente recherche porte sur la perspective morale et éthique de personnes sourdes, en analysant la relation possible entre les caractéristiques de leur vie présente, leurs projections de soi dans l’avenir et leur expérience d’humiliation dans le passé. Ont participé à cette recherche seize personnes sourdes pré-linguistiques ayant suivi un enseignement supérieur; elles sont également réparties par sexe, et interrogés individuellement par la méthode clinique de Piaget avec la langue des signes brésilienne. En considérant les données plus fréquentes, sept participants ont souffert d’un retard de 17 à 19 ans dans l’acquisition de la langue des signes. Cette acquisition tardive a bénéficié surtout du contact d’amis sourds et de personnes de la communauté sourde, contribuant ainsi à la constitution de l’identité de transition. La majeure partie des repondànts travaille à la divulgation de la langue des signes brésilienne comme instructeurs de la LIBRAS – Langue des signes brésilienne –, et dans le système éducatif comme professeurs de sourds en raison de leurs connexions avec la communauté sourde; toutefois ont été également présentés des arguments du type « autocentré », avec des éléments de reconnaissance de soi de valeur positive. Sur les cours qu’ils avaient suivis, les choix prédominants étant les Lettres-LIBRAS et la Pédagogie. Le choix pour ce cours a reposé sur des arguments liés à la communauté sourde, et autocentrés sur la base d’une reconnaissance positive de soi. La recherche sur les projets de vie révèle que les participants s’intéressent d’abord à leur propre « activité professionnelle » comme à leur investissement dans la « formation académique », et ensuite à leur « relation affective » et à l’acquisition de « biens matériels ». Cependant des arguments du type « autocentré » sont spécialement considérés en relation aux caractéristiques personnelles, aux besoins et aux capacités pour agir sur le monde, mais il est également fait mention de contenus hédonistes. La connexion est présente surtout en liaison à une collectivité, car il y a des arguments liés à la communauté sourde et à la société. Dans l’étude sur les expériences d’humiliation, c’est un thème commun aux participants, les expériences étant également fréquentes. Les autres rapportent des situations d’« exclusion », particulièrement dans l’éducation, avec « injure, calomnie et diffamation » et « impossiblité de communication », justifiées par des contenus d’« impuissance » et de « condition ». Parmi ces arguments est apparue nettement la déconsidération de l’autre par les participants, l’argument majeur parlant de « personnes proches déconnectées de soi », et de la « société déconnectée de soi ». En ce qui concerne la relation de l’influence entre l’humiliation et les projets de vie, pour la majorité, l’humiliation à teneur négative ne pourrait pas influencer les projets de vie valorisés par les participants, cette influence trouvé dans l'analyse comparative entre les types d'humiliation et projets mentionnés. Quant à ceux qui ont identifié une relation entre l’humiliation et les projets de vie, sont mis en valeur les plans de l’« activité professionnelle », de l’« inclusion sociale des sourds » et de la « relation affective » comme finalité de l’influence, les principales justifications y étant liées. Les participants élaborent des projets de vie dans une perspective éthique, s’incluant soi-même autant que l’autre, avec une attention spéciale pour la communauté sourde, mais aussi avec l’intention de s’inclure dans la société. Il y a un lien entre le présent, le passé et l’avenir, considérant que l’expérience humiliante de l’exclusion dans l’éducation se reproduit encore actuellement, quand les participants investissent dans leur propre formation supérieure pour un futur engagement professionnel. Nous espérons que cette étude sera utile à la discussion sur les politiques publiques dans le domaine de l’éducation spécialisée pour les sourds, et qu’elle contribuera aussi au développement des connaissances scientifiques sur la perspective morale et éthique de ce public.fr
dcterms.alternativeSilence Echoes : judgments of deaf people in the higher education context on life projects and humiliation in the moral and the ethical perspectiveseng
dcterms.alternativeEchos du Silence : jugements de sourds ayant accédé à la formation supérieure, sur les projets de vie et sur l’humiliation, selon les perspectives morale et éthiquefr
dcterms.creatorAndrade, Alline Nunes-
dcterms.formatTexteng
dcterms.issued2012-08-30-
dcterms.languageporpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Psicologiapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqPsicologiapor
dc.publisher.courseDoutorado em Psicologiapor
dc.contributor.refereeMenandro, Paulo Rogério Meira-
dc.contributor.refereeQueiroz, Sávio Silveira de-
dc.contributor.refereeSixel, Aliny Lamoglia de Carvalho-
dc.contributor.refereeLa Taille, Yves Joel Jean-Marie Rodolphe de-
Aparece nas coleções:PPGP - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_3519_TESE_ALLINE N ANDRADE 2012.pdf2.64 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.