Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3161
Título: Efeito da frequência de inundação na estrutura do manguezal da Baía de Vitória, Espírito Santo, Brasil
Autor(es): Lima, Tatiane Matuchack Joseph
Orientador: Tognella, Mônica Maria Pereira
Coorientador: Chaves, Filipe de Oliveira
Data do documento: 11-Mar-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A frequência de inundação e o nível do lençol freático determinam os gradientes ambientais e os níveis de stress de uma floresta de mangue, e, consequentemente, a estrutura e a função do ecossistema manguezal. Neste estudo avaliamos a influência da frequência de inundação, profundidade do lençol freático e salinidade na composição de espécies e desenvolvimento estrutural de florestas de mangue na Baía de Vitória, Espírito Santo Brasil. Foram demarcadas transversais de acordo com a heterogeneidade estrutural e realizada a caracterização estrutural com o método de parcelas. Foi realizado o perfil topográfico das transversais e estimada a frequência de inundação. Em cada parcela, foi avaliada mensalmente, a profundidade do lençol freático e a salinidade da água intersticial. R. mangle tendeu a ocorrer nas áreas mais frequentemente inundadas e menos salinas. A. schaueriana tendeu a ocorrer em áreas menos inundas e mais salinas, assim como L. racemosa, que tendeu a dominar em áreas com lençol freático profundo. Frequências de inundação iguais ou superiores a 80% resultaram em parcelas com um alto desenvolvimento estrutural. Uma frequência de inundação de 46% pode ser considerada uma condição limitante, quando inexiste uma fonte terrestre de água doce. A distribuição das espécies respondeu principalmente a fatores externos, uma vez que as variáveis abióticas estudadas explicaram 58,4% da variação estrutural. Desta maneira, o monitoramento da zonação indicaria alterações hidrológicas causadas por alterações antrópicas e mudanças climáticas.
Inundation frequency and water table depth determine mangrove forests environmental and stressors gradients, consequently, mangrove ecosystem function and structure. This study analyses inundationfrequency, water table depth and salinity influencesin mangrove forests species composition and development in Baía de Vitória, Espírito Santo State, Brazil. Transects were establishedconsidering structural heterogeneity. Plot method was applied to structure characterization. Microtopographicprofileswere obtained and estimated inundation frequency. Monthly, interstitial water salinity and water table depthwere measured. Rhizophora mangleoccurredin moreinundated and less saline areas. Avicennia schauerianaoccurredin less inundated and more saline areas asLagunculariaracemosa. The latter dominated in deep water table areas. Inundation frequencies equal or superior to 80% resulted in high structural developmentforests. 46% inundation frequency can be considered limiting, when there isn’t a freshwater source. Species distribution reflected mostly external factors, considering that studied abiotic variables explained 58,4%of structural variation. Zonation monitoring would indicate hydrological alterations resulting from anthropic activities and climate change.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3161
Aparece nas coleções:PPGOAM - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_4687_.pdf1.43 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.