Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3234
Título: Diz-me com quem andas... intertexto e intertextualidade : uma leitura do romance Borges e os orangotangos eternos de Luis Fernando Veríssimo
Autor(es): Magalhães Filho, José Soares de
Orientador: Soares, Luis Eustáquio
Data do documento: 15-Dez-2009
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O intertexto é o tema que conduz este trabalho. É feita uma proposta para a noção, distinguindo-a da de intertextualidade. Localiza algumas propostas de definição para as duas noções, mostrando que os conceitos não são tão solidamente delimitáveis. Lança mão da teoria freudiana da manifestação das lembranças para questionar o conceito da autoria de um texto e propõe a concepção do intertexto como memória da literatura. Num segundo momento, aborda historicamente os fundamentos do gênero literário policial, a sua gênese no século XIX de Edgar Allan Poe e das idéias positivistas, passando pela literatura noir americana e sua influência sobre a literatura policial brasileira. Faz uma análise com ênfase intertextual de Borges e os orangotangos eternos (2002) de Luis Fernando Verissimo, romance que traz o escritor argentino Jorge Luis Borges como personagem central e um cenário composto de temáticas borgianas, referências à literatura de modo geral, e ao gênero policial, de maneira específica, e ao tema do fazer literário. Propõe que os intertextos funcionam como forças a moldar os sujeitos e que é ali que podem ser enxergadas as intenções ideológicas de um texto.
Intertext is the subject that leads this research. A proposition for the notion is made, in opposition to the ideia of intertextuality. Propositions for the two notions are pointed, revealing that the concepts are not so easily placed. Freudian theory of remembrance process is used to question the authorship. It proposes teh concept of the intertext as memory for literature. On a second level, the basis of detective story as a narrative genre is approached historically, its origins localized in Edgar Allan Poe‘s 19th century, a time of positivist ideas, throwing a look at the american noir novels and its influence over brazilian detective stories. Borges e os orangotangos eternos (2002), a novel by Luis Fernando Verissimo is analized enphfasising on the intertexts. The novel has argentinean novelist Jorge Luis Borges as a central charachter and brings his most notorious themes, general references to general literature and to detective stories, as well as to the author‘s process of making literature. It proposes the intertext as an influence to the subject, as well as a means of looking for the ideological intentions brought by a text.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3234
Aparece nas coleções:PPGL - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_4256_.pdf607.99 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.