Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3278
Título: Entre a visibilidade e o sumiço : autor e autoria em Se um viajante numa noite de inverno, de Italo Calvino
Autor(es): Silva, João Paulo Tozetti da
Orientador: Albertino, Orlando Lopes
Data do documento: 13-Jun-2014
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Em fins da década de 1960, estudiosos como Michel Foucault e Roland Barthes ajudaram a modificar a atuação da crítica literária francesa, ainda muito apegada às perspectivas biografistas. Embora com propostas diversas, os referidos pesquisadores são considerados alguns dos maiores responsáveis pelo redimensionamento do papel que cabe ao autor na literatura e na interpretação literária. Uma década depois, Italo Calvino publica o romance Se um viajante numa noite de inverno, no qual, em meio à ficção, apresenta e discute diversos tópicos das teorias literárias então em voga, em especial a tese da morte do autor defendida por Barthes. A obra do escritor italiano é considerada por muitos críticos como sectária das ideias do semiólogo francês, porém essa premissa não é totalmente aceita. O romance critica a concepção superestimada de autor, mas, ao mesmo tempo, desconfia da proposta teórica que busca eliminá-lo. O objetivo desta dissertação é discutir a noção de autor e a questão da autoria literária por meio da obra de Italo Calvino aqui assumida como objeto de análise. A pesquisa teve como foco dois pontos distintos e interligados: apresentar a polêmica acerca da figura do autor sua pertinência ou não para a interpretação, sua ausência ou presença no texto , discutindo essencialmente a noção de intenção e a morte barthesiana; e ainda relacionar essa crítica, que diminuía a importância do autor, com o pensamento teórico de Italo Calvino para, assim, averiguar de que modo a querela envolvendo a figura do autor é discutida no romance. Dentre os norteadores da discussão, utilizamos o pensamento de Roland Barthes e de Michel Foucault, bem como as considerações do próprio Calvino expostas em diversos de seus ensaios.
In the late 1960s, some scholars as Michel Foucault and Roland Barthes contributed to modify the action of the French literary criticism, still very attached to biographical perspectives. Though with different proposals, these researchers are considered some of the main responsible for resizing the role of the author in literature and literary interpretation. A decade later, Italo Calvino publishes the novel If on a Winter's Night a traveler, in which, amid the fiction, he presents and discusses various topics of literary theories in vogue, especially the thesis of the author's death advocated by Barthes. The work of the Italian writer is considered by many critics as sectarian of the French semiotician’s ideas, but this premise is not unanimous. The novel criticizes the conception overestimated of the author, but at the same time, distrusts the theoretical proposal that seeks to eliminate it. The objective of this dissertation is to discuss the notion of author and the question of authorship through this work of Italo Calvino. The research had as its focus two distinct but interrelated points: to show the controversy about the author’s figure – its relevance or irrelevance to the interpretation, its absence or presence in the text – essentially discussing the notion of intention and the death proposed by Barthes, and to relate this criticism, which belittled the author’s importance, with Calvino’s theoretical thinking to, thereby, determine how the dispute involving the author’s figure is discussed in the novel. As a guide, we use the Roland Barthes’s and Michael Foucault’s thoughts, as well as considerations that Calvino himself exposed in many of his essays.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3278
Aparece nas coleções:PPGL - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_7686_João Paulo Tozetti.pdf1.17 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.