Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3305
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorAlvarenga, Alexandre Curtiss-
dc.date.accessioned2016-08-29T14:11:34Z-
dc.date.available2016-07-11-
dc.date.available2016-08-29T14:11:34Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/3305-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.subjectTradução intersemióticapor
dc.subjectAdaptaçãopor
dc.subjectReciclagempor
dc.subjectCinema and literatureeng
dc.subjectIntersemiotic translationeng
dc.subjectAdaptationeng
dc.subjectIntermedialityeng
dc.subjectRecyclingeng
dc.titleShakespeare reciclado : uma adapação cinematográfica de A megera domada no filme 10 coisas que eu odeio em vocêpor
dc.typemasterThesiseng
dc.subject.udc82-
dc.subject.br-rjbnShakespeare, William, 1564-1616-
dc.subject.br-rjbnCinema e literaturapor
dc.subject.br-rjbnIntermidialidadepor
dc.subject.br-rjbnAdaptações para o cinemapor
dcterms.abstractEste trabalho analisa a adaptação cinematográfica do teatro shakespeariano, mais especificamente da obra A Megera Domada, no filme 10 coisas que eu odeio em você, a partir de uma reflexão de tradução intersemiótica, inspirada pelas definições peirceanas de signo e a entendendo como uma forma de hipertextualidade criativa. O estudo aborda as relações dialógicas entre o texto fonte e seu hipertexto, considerando seus respectivos contextos. Discutem-se questões referentes à adaptação e apropriação (cientes de que o cinema, como meio de reprodução da arte, se configura como uma das formas mais efetivas de adaptação literária ou não), que trazem à baila questionamentos sobre a perpetuação da canonicidade de Shakespeare ou a sua resistência, sob a forma de reciclagem. Discutimos ainda o conceito de intermidialidade, como forma indispensável de suporte para as releituras realizadas até o momento.por
dcterms.abstractThis study analyses the Shakespearean theater screen adaptation, specifically the work The Taming of the Shrew, into the film 10 Things I Hate About You, through an intersemiotic translation reflection inspired by Peirce's sign definitions and understood as a form of creative hypertextuality. The study addresses the dialogical relations between the source text and its hypertext, considering their respective contexts. It is discussed the issues related to adaptation and appropriation (considering that cinema, as a mean of art reproduction, appears as one of the most effective ways of adaptation - literary or otherwise), which bring out questions about Shakespeare’s perpetual canonicalization or its resistance under the terms of recycling. It was also discussed the intermediality concept as an essential form of medium for the rereadings done so far.eng
dcterms.creatorCarvalho, Luana Melissa de-
dcterms.formatTextpor
dcterms.issued2015-04-24-
dcterms.languageporpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Letraspor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqLetraspor
dc.publisher.courseMestrado em Letraspor
dc.contributor.refereeAlves, Roberta Maria Ferreira-
dc.contributor.refereeAlbertino, Orlando Lopes-
Aparece nas coleções:PPGL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_8846_DISSERTAÇÃO FINAL 15 PDF.pdf1.47 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.