Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3327
Título: As autonomias zapatistas : uma construção rebelde de novos sujeitos políticos (1994-2008)
Autor(es): Gonçalves, Alyne dos Santos
Orientador: Gil, Antonio Carlos Amador
Data do documento: 2-Out-2008
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O presente trabalho faz uma análise histórica sobre o processo de construção dos governos autônomos zapatistas entre 1994 e 2008, período em que os rebeldes chiapanecos transformaram os municípios controlados pelo EZLN em regiões autônomas inauguradas em agosto de 2003, a partir da criação dos Caracóis e das Juntas de Bom Governo. A ênfase neste percurso recai sobre as influências recebidas de outras experiências autonômicas levadas a cabo no estado de Chiapas, especialmente na região da Selva Lacandona, nos anos 70 e 80, bem como nas características específicas que o movimento foi desenvolvendo a partir de sua percepção particular em relação ao poder e ao conteúdo da autonomia, considerada um dos direitos coletivos mais importantes para a inclusão dos povos indígenas à sociedade nacional em condições de igualdade e justiça. O projeto de autonomia zapatista representa uma alternativa a um sistema político centralizador e homogeneizante, que tem criado muitos obstáculos para o surgimento de sujeitos políticos ativos e livres, ou seja, que prescindam do assistencialismo governamental e do caudilhismo de velhas lideranças. O processo em exame esteve (está) repleto de avanços, limites e desafios decorrentes das escolhas históricas realizadas pelo movimento zapatista ao longo desses 10 anos de resistência.
This paper refers to a historical analysis on the process of construction of the autonomous Zapatista government between 1994 and 2008, when the chiapaneco rebels transformed the districts controlled by the EZLN (Ejercito Zapatista de Nacional Liberacion - Zapatista Army of National Liberation) in autonomous municipalities established in August 2003 with the creation of the Caracoles and the Juntas de Buen Gobierno. The emphasis here is on the influences received from other autonomist experiences that took place in the State of Chiapas, especially in the Lacandona jungle region in the 70’s and 80’s. It shows as well as the specific characteristics developed by the movement from its particular perception of power and autonomy contents that is considered one of the most important collective rights for the embodiment of the natives to the national society in similar conditions of equality and justice. The Zapatista autonomous project represents an alternative to a concentrated and homogeneous political system that creates many obstacles for the uprising of active and free politics. It means they do not need government assistance and the tyranny of old leaderships. The evaluation of this process shows it to be one of progress, boundless limits and challenges resulting from the historical choices done by the Zapatista movement during 10 years of resistance.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3327
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_3175_Alyne_dos_Santos_Gonçalves.pdf1.08 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.