Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3329
Título: As Idéias Políticas e a Apologética de Ramon Llull (1232- 1316) Sobre a Cruzada na Terra Santa
Autor(es): VENTORIM, E.
Orientador: COSTA, Ricardo da
Data do documento: 14-Jul-2008
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: VENTORIM, E., As Idéias Políticas e a Apologética de Ramon Llull (1232- 1316) Sobre a Cruzada na Terra Santa
Resumo: Dos séculos XII ao XIV, a Europa cristã ocidental viveu um período de grande fervor religioso. Nesses anos, houve o nascimento de várias ordens religiosas, como também das ordens militares. Tudo isso estava relacionado com uma necessidade de reforma da própria cristandade, como, também, da recuperação de territórios sagrados ao cristianismo e que haviam caído nas mãos dos infiéis. Foi nesse contexto de mudanças e reformas que Ramon Llull viveu. Nascido em uma região de fronteira, a ilha de Maiorca, seu contato com os infiéis era diário. Quando Ramon se converteu, decidiu doar sua vida a Cristo. Por sua paixão, Llull assumiu uma importante missão: provar de forma racional que o cristianismo era única religião verdadeira. Para realizar esse projeto, segundo ele, era necessário primeiramente unificar o cristianismo, então dividido em várias seitas, para, em seguida, converter os infiéis ao credo latino. Esse projeto possuía uma divisão interna: a cruzada espiritual e a cruzada corporal. É através das obras do procurador dos infiéis, escritas entre 1289 e 1309, principalmente o Livro do Fim (1305), que pretendemos ingressar nessa vida do filósofo cheia de trabalhos, escritos, lamentos e esperanças. Palavras-chave: Ramon Llull Apologética Cruzada Muçulmanos.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3329
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3178_Eliane_Ventorim.pdf1.38 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.