Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3368
Título: O PTB: entre o Estado e as massas (1960-1964)
Autor(es): JANES, A. R. P.
Orientador: CAMPOS, A. P.
Data do documento: 13-Nov-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: JANES, A. R. P., O PTB: entre o Estado e as massas (1960-1964)
Resumo: O Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), criado a partir de um processo de redemocratização realizado em 1946, tinha como objetivo maior viabilizar a permanência de Getúlio Vargas no poder. Apesar de seu crescimento, o PTB não conseguiu formar uma coalizão no Congresso Nacional capaz de efetivar as reformas e sustentar no poder o Presidente da República. O problema levantado nesta investigação consiste em discutir a falta de coesão do PTB frente à ameaça de golpe. Para tanto, realizou-se uma discussão teórica e historiográfica com o objetivo de explicar a posição do PTB diante do Golpe de 1964 e seu desafio em apoiar o Governo Jango na conjuntura conspiratória que se desenvolvia naquela época. Complementando as informações da historiografia sobre o tema, utilizaram-se, ainda, como fontes, os jornais Folha de São Paulo e O Globo e a obra de Alberto Pasqualini Bases e sugestões para uma política social. Inicialmente, o PTB possuía dupla característica: um projeto trabalhista e o vínculo com o getulismo. Podemos concluir, então, que, em seus primórdios, essa sigla compunha-se de políticos e sindicalistas que apresentavam, como atributo político central, a ligação com o aparelho administrativo do Estado, especialmente com o Ministério do Trabalho. Em um segundo momento, o partido apresentou uma gradativa desvinculação do getulismo e adotou uma via reformista. Pasqualini foi o idealizador mais significativo dessa tendência e suas idéias permaneceram vivas ao longo da história do partido. No contexto dos anos de 1960, o PTB assumiu uma posição radical em relação às reformas, colaborando para intensificar a crise política. Nem o PTB nem as esquerdas conseguiram formar uma defesa forte contra o golpe militar porque estavam bastante divididos. Naquele momento, as forças se polarizavam, o próprio PTB estava bastante fragmentado; além disso, a crença na vitória entorpecia os grupos progressistas, que imaginavam possuir o respaldo necessário para um embate com a direita. Todo esse conjunto de fatores, aliado ao desprezo pela constituição por parte dos grupos envolvidos, contribuiu para o desfecho de 1964. Palavras-Chave: Partido Trabalhista Brasileiro. Política. Estado. Massas.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3368
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3298_Andréia_Rezende_Peres_Janes.pdf785.41 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.