Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3373
Título: A invenção do pastor político : imaginários de poder político construídos a partir da história das bancadas evangélicas
Autor(es): Saquetto, Diemerson
Orientador: Santos, Estilaque Ferreira dos
Coorientador: Vasconcellos, João Gualberto Moreira
Data do documento: 19-Dez-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O mundo político contemporâneo mostrou-se simbiótico, em seus processos de gestão formativa, aos elementos sociais próprios da manifestação religiosa. Apropriou-se de uma herança matricial presente nos vínculos constitutivos do seu desenvolvimento, mas permaneceu política, enquanto tal alicerçada na tradição resignificada. Percorremos, nesta dissertação, um caminho que vislumbrou apresentar um modelo de liderança próprio da pós-modernidade, mas para tanto, manifesto também de maneira a apropriar-se dos conteúdos presentes na cultura. As religiões têm apresentado novos modelos de crença, novas posturas teológicas e eclesiais, a fim de permanecerem como, institucionalidade respaldada, geradora de sentido humano e pertença social. O modelo religioso aqui colocado fora o do pentecostalismo, em suas tipologias e hermenêuticas de mundo, seus projetos sociais e interesses políticos, suas configurações básicas e atualizadas pelo neopentecostalismo, da novidade da Prosperidade e da Teologia do Domínio, pela criação de um quadro que buscou a efetividade da efervescência da participação de seus membros no mundo, não mais espiritual somente, mas secular e rico de construções imaginárias irmanadas ao simbólico. A vitalidade da embriaguez litúrgica buscou a representação e a “salvação social” em uma comunidade que cresce de maneira vistosa no contexto global, brasileiro, e na periferia federativa capixaba. Suas igrejas e seus líderes, iconizados pelo grande sucesso da Universal do Reino de Deus, apresentam mais que tão somente um líder como Macedo, R. R. Soares ou Crivella, mas tantos outros que mais do que mestres da linguagem religiosa, mostraram-se mestres políticos, articuladores sociais. A maneira de apresentar-se, enquanto religião superou as expectativas sociológicas, filosóficas, teológicas e psicológicas. Uma vez que mudaram o modo de inserção de seus membros na sociedade. Os valores imateriais da realidade da crença vêm cada vez mais alicerçando as relações sociais, a ética, a estética e a relação dos grupos crentes ao mundo do poder político. Voto e consumo tornaram-se sacralizados, e a subjetividade aliou-se a formação imaginária. A busca de valores e espaços traduziu-se em desempenho econômico, político e social, na esperança em seus líderes presentes nas Bancadas Evangélicas, manifestos por pastores políticos, inventados como produto da herança religiosa, no sincretismo disfarçado de sectarismo, na demonização do outro enquanto alteridade necessária a conjugação de uma identidade própria, aliada ao divino. Inventados como herança política, nas redes clientelares e na patronagem que tanto já esteve presente na construção do imaginário político dos coronéis e agora re-significado.
The contemporary political world has shown to be symbiotic in its formative management processes concerning social elements typical of religious manifestations. It absorbed a matricial heritage existing in the constitution of its development, but remained political, based on a re-meant tradition. This study aims at presenting a typical post-modern leadership model, but also based on cultural contents. Religions have introduced new models of belief, theological and ecclesiastic postures, in order to be backed institutions, generators of human sense and social inherence. Pentecostalism is the religious model studied here. Its world hermeneutics and typologies, its social projects and political interests, its basic configuration, updated by the Neo-Pentecostalism, by the new Prosperity and Domination Theology, by the creation of a framework that sought the effectiveness and effervescence of its members’ participation. Not only spiritual participation, but secular and rich of imaginary constructions linked to symbolism. The vitality of liturgical inebriation sought representation and “social salvation” in a community that grows elegantly in the global and Brazilian settings as well as in the Capixaba outskirts. Its churches and its leaders, iconized by the success of Universal do Reino de Deus, show more than just a few leaders as Macedo, R.R. Soares or Crivella, but several others who besides masters of religious language, are also political masters, social articulators. The way religions introduced themselves excelled sociological, philosophical and psychological expectations because they changed the way their members are inserted in society. The immaterial values of belief reality have based social relations, ethics, esthetics, and relations believing groups on the world of political power. Vow and consumption became sacred, and subjectivity was linked to imaginary formation. The search for values and space resulted in economic, political and social development; in the hope that their leaders in Evangelical committees; in manifestos made by political pastors invented as a product of religious heritage; in syncretism disguised as sectarianism; in the demolition of the other as alterity necessary for a self identity, allied to divinity. Invented as political heritage in client networks and the patronage that has already been so present in the coronel’s1 construction of political imagination, now re-meant.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3373
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_3303_Diemerson_Saquetto.pdf2.61 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.