Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3386
Título: HISTÓRIA, Memória e Identidade no Século Iv D.c. lactâncio e a Ação da Providência na Construção de uma Ordem Política Cristã
Autor(es): TIGGES JUNIOR, P. R.
Orientador: SILVA, G. V.
Data do documento: 19-Out-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: TIGGES JUNIOR, P. R., HISTÓRIA, Memória e Identidade no Século Iv D.c. lactâncio e a Ação da Providência na Construção de uma Ordem Política Cristã
Resumo: Lactâncio, retórico cristão do Norte da África, é uma das mais importantes testemunhas do momento que abrange o final do século III e o início do IV. Suas obras, especificamente De ira Dei e De mortibus persecutorum, são um relato dos debates filosóficos, teológicos e de alguns eventos de seu tempo. Influenciado pelo Antigo Testamento no caso, Gênesis, Êxodo, Números e o livro de Josué pela idéia de Providência, pela História e memória dos israelenses, Lactâncio constrói suas idéias acerca da Providência de Deus, além de uma História e memória para os cristãos nas obras De ira e De mort. Apesar da importância das duas obras, não encontramos indícios de que qualquer historiador tenha feito um estudo a respeito da construção e de como funciona a Providência de Deus na De ira e de sua aplicação na obra De mort. Este é o cerne de Nossa Dissertação de Mestrado, a construção e a explicação de como funciona a Providência de Deus em De ira o debate com Epicuro de Samos acerca da existência da Providência e sua aplicação na obra De mort., specificamente no mundo político do Império Romano, na História (trajetória) dos cristãos, até o estabelecimento de uma nova ordem política cristã, quando do triunfo de Constantino sobre Maxêncio, no ano 312. A História (trajetória) dos cristãos fornece dados para a edificação de uma memória, sendo a memória o conhecimento de quem se foi no passado e de quem se é no presente. A memória fornece dados para a construção de uma identidade, sendo identidade três pontos principais: a) definição positiva de si; b) definição negativa dada ao outro a diferença e c) dependência entre o positivo a identidade e o negativo a diferença. O cristão é o positivo a identidade e o pagão é o negativo a diferença. Quanto à metodologia, nosso alicerce é Régine Robin. Tendo por base os princípios desenvolvidos por tal autora, analisamos palavras e expressões nas obras De ira e De mort., descobrindo significados, num primeiro momento, ocultos. Finalmente, nosso propósito, por meio do estudo da construção e explicação de como a Providência funciona em De ira e seu emprego no mundo político do Império Romano em De mort., é contribuir para o melhor entendimento político e religioso do final do século III e começo do século IV.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3386
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3316_Paulo_Roberto_Tigges_Júnior.pdf424.63 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.