Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3400
Título: O Poder e o Sagrado na Idade das Trevas a Configuração Simbólica da Realeza Homérica
Autor(es): GABRECHT, A. P.
Orientador: SILVA, G. V.
Data do documento: 3-Mai-2006
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: GABRECHT, A. P., O Poder e o Sagrado na Idade das Trevas a Configuração Simbólica da Realeza Homérica
Resumo: O período de História grega compreendido entre os séculos XII e VIII a.C. ficou conhecido pela historiografia como Idade das Trevas. É assim chamado por ter ocorrido na Grécia o desaparecimento da escrita e uma acentuada redução da produção material. Sendo assim, o que se sabe dessa época é baseado principalmente no relato da poesia transmitida oralmente de geração em geração por poetas conhecidos como aedos. Homero, se de fato existiu, foi um desses aedos. Atribui-se a esse poeta duas obras de grande porte classificadas quanto ao gênero como epopéias: a Ilíada e a Odisséia. Apesar de se considerar que Homero teria vivido durante o século VIII a.C., os poemas a ele imputados possuem elementos que remontam até mesmo ao século XII a.C. ou a ainda antes. As epopéias homéricas revelam-se como importantes fontes para o estudo das relações de poder na Idade das Trevas. A Ilíada, escolhida como principal fonte para esta pesquisa, é bastante ilustrativa quanto à relação do poder com o sagrado. Por meio do poema é possível perceber que, no mundo homérico, o poder do rei chamado de basileus é corroborado pelos elementos simbólicos que o cercam. O rei homérico reveste-se de símbolos sagrados, como o cetro celestial, dado pelo próprio Zeus, porta o título de anax, assim como Zeus, e conta com a proteção pessoal dos deuses. Tudo isso contribui na delimitação de sua posição hierárquica nessa sociedade e o liga ao mundo sobrenatural fazendo um ser diferenciado dos demais. A acumulação de geras (privilégio) e time (honra), conseguida por intermédio de ações heróicas e dada pelo próprio Zeus, também auxilia na delimitação da posição do basileus. Isso permite chegar a uma definição de realeza homérica fortemente ligada às divindades.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3400
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3401_Ana_Penha_Gabrecht.pdf619.86 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.