Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3402
Título: Igreja, Conflito e Poder no Século Iv D.c.: joão Crisóstomo e o Levante das Estátuas em Antioquia
Autor(es): SILVA, E. C. M.
Orientador: SILVA, G. V.
Data do documento: 25-Abr-2006
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA, E. C. M., Igreja, Conflito e Poder no Século Iv D.c.: joão Crisóstomo e o Levante das Estátuas em Antioquia
Resumo: Em 387 d.C., em Antioquia, uma província importante do Império Romano, sob o reinado de Teodósio (379-395), ocorreu uma manifestação popular que ficou conhecida como o Levante das Estátuas. Esse conflito teve como motivo imediato a determinação de um novo imposto. Assim, quando do anúncio da medida, protestos oriundos dos membros da cúria de Antioquia iniciaram os acontecimentos que levaram à destruição das imagens do imperador e de sua família. No século IV, a destruição de imagens imperiais é um dos crimes de lesa-majestade de maior gravidade. Em razão disso, a cidade sofreu diversas punições. Das pessoas que foram responsabilizadas pelo ocorrido, algumas foram executadas e outras, presas. Teodósio ainda pretendia destruir a cidade, juntamente com a população, devido à ofensa cometida. No entanto, na resolução final do conflito, Teodósio perdoou a cidade, os que ainda estavam presos foram anistiados e restituídos a seus cargos e a cidade retornou a seu status anterior. Esse levante recebeu um destaque significativo na história do Baixo Império Romano. De fato, vários escritores da época escreveram sobre o conflito. Mas são os cinco discursos do retórico pagão Libânio sobre o assunto e, sobretudo, as vinte e uma homilias do presbítero João Crisóstomo que se tornaram as principais fontes documentais do acontecido, pela ênfase que dão ao conflito. Dessa forma, os estudos historiográficos que versam sobre o levante em Antioquia podem ser fundamentados pela primeira ou pela segunda fonte, senão por ambas. No entanto, observamos que o testemunho de Libânio é, consideravelmente, mais explorado pela historiografia que o testemunho de João Crisóstomo, apesar de este, em relação a Libânio, legar-nos uma documentação mais numerosa. Tendo isso em vista, o objetivo da presente dissertação é mostrar o ponto de vista de João Crisóstomo acerca do levante centrando atenção, por um lado, na maneira como João Crisóstomo concebe a destruição das estátuas e, por outro, como compreende a interferência cristã no conflito a partir das intercessões dele próprio junto à população, dos monges junto aos magistrados e do bispo Flaviano junto ao Imperador a fim de demonstrar que a interferência cristã influenciou de uma maneira particular a decisão imperial no que se refere à resolução final do conflito.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3402
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3403_rica_Cristhyane_M._da_Silva.pdf858.11 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.