Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3441
Título: Um Desejo Chamado Metrópole: a Modernização Urbana de Vitória no Limiar do Século XX
Autor(es): FERREIRA, G. L.
Orientador: SIQUEIRA, M. P. S.
Data do documento: 23-Nov-2009
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FERREIRA, G. L., Um Desejo Chamado Metrópole: a Modernização Urbana de Vitória no Limiar do Século XX
Resumo: RESUMO As concepções urbanísticas espelhadas, principalmente, no modelo parisiense do Barão de Haussmann influenciaram várias cidades brasileiras nos séculos XIX e XX. A reestruturação urbana passou a ser perseguida por administradores das diversas cidades brasileiras, entre elas, Vitória, capital administrativa do Espírito Santo desde o Período Colonial. Com o advento da República, o passado colonial, que em sua longa trajetória fora imprimindo suas marcas na arquitetura da cidade, viria sofrer um forte processo de transformação que mudaria a paisagem e a dinâmica urbana da capital capixaba. O presente estudo tem por finalidade apresentar a influência do ideal moderno na reestruturação urbana da cidade de Vitória no limiar do século XX. A pesquisa empírica se pautou em três corpus documentalis produzidos entre os anos de 1892 e 1912: análise dos Relatórios de Governo do Estado do Espírito Santo, da documentação da municipalidade e da iconografia existente. Assim, o presente estudo historiográfico resgatou a gênese do processo de modernização urbana da cidade de Vitória, que teve início no fim do século XIX e se estendeu às décadas iniciais do século XX. Palavras-chaves: Cidade de Vitória, Modernização Urbana, Cidades, Urbanização, História Urbana, Século XIX.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3441
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3568_Gilton_Luis_Ferreira.pdf5.58 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.