Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3447
Título: Ecos do labirinto : Hugo Chávez e a reconstrução da mítica bolivariana na Venezuela (1999-2009)
Autor(es): Reis, Thiago Menini dos
Orientador: Mendonça, Carlos Vinícius Costa de
Data do documento: 16-Abr-2010
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Essa pesquisa tem por objetivo desenvolver uma análise histórica sobre a fabricação da imagem pública do presidente venezuelano Hugo Chávez a partir de sua relação com a representação simbólica da imagem do libertador Simon Bolívar. A fabricação da imagem pública de Hugo Chávez tem como marco inicial o dia de 4 de fevereiro de 1992, quando ele fez uma declaração em rede nacional de televisão após ser preso junto a outros militares em uma desastrosa tentativa de golpe de Estado. Apesar de ter sido frustrado na insurreição, Hugo Chávez conseguiu conquistar o apoio de grande parte da população venezuelana em seu primeiro discurso transmitido para todo país, mesmo estando derrotado e preso. Nesse momento ele já trazia em seu discurso o signo do Libertador, buscou imediatamente associar-se a imagem de Bolívar. Hugo Chávez passou a ampliar paulatinamente seu espaço no campo da política venezuelana, até que em 1998 conseguiu através da eleição direta sua ascensão para a presidência do país, estruturado em um grande movimento político. Hugo Chávez promoveu a partir de então uma reestruturação do Estado alicerçado sobre a “doutrina bolivariana”, esta doutrina além de ter uma função programática, cumpriu um importante papel estratégico ao reavivar o mito político bolivariano, que se tornou eficiente como uma das ferramentas utilizadas por ele na disputa e manutenção do poder. O mito do libertador Bolívar não foi uma apropriação exclusiva de Hugo Chávez, ao contrário, ele viajou por toda a História do poder na Venezuela, sendo apropriado pelos mais diversos político, em épocas distintas e sendo utilizado para se alcançar propósitos muitas vezes dispares. A pesquisa propõe-se a compreender quais os principais aspectos dessa apropriação do mito bolivariano por Hugo Chávez através da fabricação de sua própria imagem como soberano e discutir como dar-se a validação desse mito no imaginário político venezuelano, como esse mito ressurge no tempo presente de maneira eficaz. Foram selecionados dois grupos de fontes, o primeiro são as biografias que versam sobre a vida de Hugo Chávez e da Revolução Bolivariana, o segundo é formado pelos discursos públicos proferidos por Hugo Chávez e que foram publicados pela imprensa oficial venezuelana, sendo estas fontes selecionadas pelo seu caráter publicitário.
This research wants to analyze President Hugo Chavez public image starting from the association with the liberator Simon Bolivar and his symbolic representation. Hugo Chavez started building his public image on the 4 of February with his declaration on a national TV channel just after being arrested with others soldiers during a military insurrection. During his first speech, Hugo Chavez managed to obtain the support of most Venezuelan citizens by associating himself to Simon Bolivar. After this, Hugo Chavez increased his power within Venezuelan politics and in 1998 became President of Venezuela. Since then Hugo Chavez promoted many reforms based on the “Bolivar doctrine”, this doctrine had a strategic role reviving Bolivar political myth, one of the most efficient tool used by Chavez to keep the power. Liberator Bolivar myth has been used several times by politicians of different times and for many purposes. This research wants to underline the main aspects of Hugo Chaves appropriation of Simon Bolivar myth by discussing the importance of this myth within Venezuelan politics. Different types of sources have been selected: first of all Hugo Chavez and Bolivarian Revolution biographies, then Hugo Chaves public speeches published by the official Venezuelan press, selected for their advertising purposing.
Esta investigación pretende desarrollar un análisis histórico de la fabricación de la imagen pública del presidente Hugo Chávez a partir de la asociación con el libertador Simón Bolívar y su representación simbólica. Hugo Chávez comenzó a construir su imagen pública el 4 de Febrero con su declaración en un canal de televisión nacional después de haber sido detenido, junto con otros soldados, durante una insurrección militar. Durante su primer discurso, Hugo Chávez, logró obtener el apoyo de la mayoría de los ciudadanos de Venezuela asociándose a la imagen de Simón Bolívar. Después de esto, Hugo Chávez, aumentó su poder dentro de la política venezolana, y en 1998 se convirtió en Presidente de Venezuela. Desde entonces, Hugo Chávez, promovió numerosas reformas sobre la base de la doctrina "Bolivariana", esta doctrina tuvo una función programática y un papel fundamental en la recuperación del mito político de Bolívar, una de las estrategias más eficaces utilizadas por Chávez para mantener el poder. El mito del libertador Bolívar no fue una apropiación exclusiva de Hugo Chávez es más ha sido utilizado en varias ocasiones por los políticos de diferentes épocas y para muchos fines. Esta investigación se propone comprender los principales aspectos de la apropiación del mito de Simón Bolívar por Hugo Chaves y discutir la importancia de este mito dentro de la política venezolana. Se han seleccionado diferentes tipos de fuentes: en primer lugar, las biografías de Hugo Chávez y la Revolución Bolivariana, entonces los discursos públicos de Hugo Chaves publicados por la prensa oficial venezolana y seleccionados por su carácter publicitario.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3447
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_3989_Thiago_Menini_dos_Reis.pdf1.6 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.