Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3475
Título: O Malleus Maleficarum e o Discurso Cristão Ocidental Contrário à Bruxaria e ao Feminino no Século Xv
Autor(es): PORTELA, L. N. S.
Orientador: FELDMAN, S. A.
Palavras-chave: 1
Idade Média - História - Europa
2
Feitiçaria
3
Mulher
Data do documento: 17-Ago-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PORTELA, L. N. S., O Malleus Maleficarum e o Discurso Cristão Ocidental Contrário à Bruxaria e ao Feminino no Século Xv
Resumo: Ao longo da história humana processaram-se diversos instrumentos de busca por uma percepção e compreensão da realidade para além de seus fatos mais palpáveis e lógicos. As tentativas de controle, pelo homem, do universo e a busca pela transcendência à materialidade resultaram na afirmação de elementos sensoriais peculiares relacionados diretamente à crença no sobrenatural. As práticas mágicas, sob o signo da bruxaria, tornaram-se ao longo dos tempos objeto de curiosidade e aversão. Em última instância, com a expansão e afirmação do cristianismo no mundo medieval europeu, a bruxaria acabou estigmatizada como o signo da infâmia e do diabólico. No âmbito da análise do documento intitulado Malleus Maleficarum, produzido e publicado no século XV, verifica-se a existência de um discurso severo contra a prática da bruxaria, salientando-se a proximidade da magia com o mal. Nesse sentido, atribuiu-se à mulher o lugar primeiro da perversidade e da utilização da bruxaria como instrumento de luta do diabo contra a cristandade, na tentativa de frustrar a fé e a salvação humana. A Análise do Discurso, enquanto metodologia, propõe a descoberta da intenção política de um texto e seu autor. O discurso religioso, em especial, possui como característica principal a autoridade da voz que se sobressai ao autor do texto, a voz de Deus. O discurso cristão é, pois, lugar da verdade absoluta da Igreja e da luta contra a bruxaria. Em um momento conturbado para a história da Europa, em que a fome, as guerras e a Peste Negra contribuíam para a disseminação de um sentimento generalizado de insegurança entre a população, as crises no interior da Igreja passaram a ser vistas como reflexo da ação do mal sobre a cristandade, reflexo da ira de Deus. Na visão da Igreja, a natureza fraca da mulher e a influência diabólica sobre a mesma possibilitaram a difusão dos cultos sabáticos das bruxas por todo o continente europeu ocidental a fim de macular os princípios da fé, devendo ser sumariamente combatida pelos tribunais da Inquisição
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3475
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4762_LUDMILA PORTELA.pdf812.51 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.