Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3479
Título: Paulo e a ekklesia de Corinto: conflitos sociais e disputas de autoridade no período paleocristão
Autor(es): MENDES, S. R. P.
Orientador: SILVA, G. V.
Palavras-chave: Paleocristianismo Paulo de Tarso Apostolado Ekklesia Corinto
Data do documento: 28-Mar-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: MENDES, S. R. P., Paulo e a ekklesia de Corinto: conflitos sociais e disputas de autoridade no período paleocristão
Resumo: Este estudo objetiva identificar a motivação para a emergência dos conflitos de natureza política na ekklesia de Corinto, logo após a sua fundação, em 50, por Paulo de Tarso. Destaca que as epístolas 1 e 2 Coríntios, redigidas por Paulo e endereçadas a essa comunidade entre 54-60, apresentam conflitos relacionados ao tipo de conduta adotado pelos membros e, sobretudo, a disputas por autoridade dentro da ekklesia, as quais se desdobram numa oposição à autoridade de Paulo como apóstolo. Na averiguação dos conflitos, faz uso de uma metodologia que se apoia na Análise de Conteúdo e nos pressupostos teóricos de Bourdieu acerca da eficácia do discurso e do poder simbólico, e assim investiga o grau de institucionalização do paleocristianismo e os modelos de autoridade apostólica vigentes no século I. Aponta como resultados que a autoridade de Paulo foi contestada porque os grupos paleocristãos não tinham uma referência única de autoridade e que o grau de institucionalização do paleocristianismo na metade do século I se mostrava incipiente, caracterizado pela ausência de fronteiras bem definidas entre os grupos religiosos de tendência judaico-cristã.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3479
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4768_.pdf1.59 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.