Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3571
Título: As Margens do Piraquê-Açu: O Labirinto
Autor(es): FLORENCIO, C. M. D. L.
Orientador: SCARIM, P. C.
Data do documento: 19-Nov-2010
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FLORENCIO, C. M. D. L., As Margens do Piraquê-Açu: O Labirinto
Resumo: Este trabalho aborda a Etnogenese de populações Tupiniquim e Guarani do município de Aracruz no estado do Espírito Santo Brasil, acontecida nos últimos cinqüenta anos, Os espaços delimitados à face da lei como terras indígenas, têm fronteira com outros espaços em vias de classificação como áreas protegidas em um mosaico de usos territoriais conflitantes e disputas pela posse da terra, de baixa intensidade, monocultura de eucalipto, uso e proteção de estuários e manguezais, relacionamento econômico entre populações de manejo tradicional dos recursos do ecossistema manguezal e do estuário do Piraquê-açu e Piraquê-mirim. Populações essas, que se concentram na margem norte deste estuário. Partindo da problemática indígena e territorial, através do estudo das margens objetivas e subjetivas tecem-se algumas considerações conceituais sobre Etnogenese, espaço, espaço vital, território, estado, globalização surgidas, em decorrência da dinâmica da pesquisa e pertinentes à reflexão Geográfica que apresenta um cenário de ação antrópica prevista de industrialização e urbanização continuada com implantação de estaleiros navais, indústria petroquímica e ampla ampliação do setor portuário. Palavras-chave: etnogênese, territorialização, Piraquê-açu.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3571
Aparece nas coleções:PPGGEO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4440_carlos manuel pdf.pdf6.44 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.