Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3649
Título: A HERMENÊUTICA DA OBRA DE ARTE: A EXPERIÊNCIA DA ARTE COMO UM JOGO INFINITO ENTRE PERGUNTA E RESPOSTA EM GADAMER
Autor(es): JESUS NETO, A. A. B.
Orientador: Oliveira, B.
Palavras-chave: Hermenêutica
Experiência
Estética
Filosofia da arte
Data do documento: 15-Jun-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: JESUS NETO, A. A. B., A HERMENÊUTICA DA OBRA DE ARTE: A EXPERIÊNCIA DA ARTE COMO UM JOGO INFINITO ENTRE PERGUNTA E RESPOSTA EM GADAMER
Resumo: O que significa compreender uma obra de arte? A hermenêutica, segundo Hans Georg Gadamer, se identifica com uma estrutura de pergunta e resposta dentro de um limite de uma conversação possível. Uma obra de arte pode ser compreendida ao modo de um texto. Porém não é qualquer pergunta que dirigimos a obra . Para isso precisamos ganhar a questão. Seria isso um método apropriativo, ou seja, ganhamos a questão e uma vez feito isso podemos dominar o que está em obra na obra? O conceito de jogo será, em nosso projeto repensado, à luz de Gadamer. Isso vai nos permitir mostrar no jogo da arte que somente participando dele é que ganhar a questão faz sentido. Desse modo, articulando a noção de jogo com a idéia da lógica de pergunta e resposta nos esforçaremos em mostrar tal possibilidade interpretativa desde a perspectiva Gadameriana de que se pode compreender a obra de arte também como um texto. O compreender e interpretar não são atividades referentes somente aos textos mas expressam a experiência cotidiana feita pelo homem no mundo. Quando compreendemos por exemplo a tradição não estamos compreendendo apenas um texto mas também pontos de vista e discernimentos que podem ser reconhecidos também como verdades. Doravante, tentaremos investigar o fenômeno da compreensão direcionando este para a experiência da arte. Uma compreensão que nunca se esgota. A obra de arte como um texto nos provoca a pensar que compreensão é essa que sempre é possível. O que tem a obra de arte genuína para participar (pertencer) as coisas de caráter inesgotável? Desse modo a relevância de nosso estudo é exatamente investigar por que, seja arte moderna ou antiga, a experiência de tal obra ultrapassa de um modo essencial todo o horizonte subjetivo da interpretação, tanto do autor (artista) quanto do espectador que recebe a obra. Aonde ninguém possui a última palavra.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3649
Aparece nas coleções:PPGFIL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4899_Antonio Almeida Neto20130822-162014.pdf585.46 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.