Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3658
Título: PASSAGEM DA RELIGIÃO GREGA E DO MUNDO ROMANO AO CRISTIANISMO NA FENOMENOLOGIA DO ESPÍRITO DE HEGEL.
Autor(es): SILVA JUNIOR, J. B.
Orientador: LUCHI, J. P.
Palavras-chave: :Situação de direito
Pessoa abstrata
Comunidade ética
Data do documento: 13-Dez-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA JUNIOR, J. B., PASSAGEM DA RELIGIÃO GREGA E DO MUNDO ROMANO AO CRISTIANISMO NA FENOMENOLOGIA DO ESPÍRITO DE HEGEL.
Resumo: Analisa o fenômeno da religião e suas diferentes manifestações, a partir da interpretação hegeliana da passagem da religião grega e do mundo romano ao cristianismo, que a Fenomenologia do Espírito apresenta. Para Hegel, a causa da grande diversidade aparentemente desconexa de religiões no espaço e no tempo, é a própria ideia de religião, a necessidade de realização da consciência de si do espírito. Procuramos refletir sobre a experiência da consciência de si do espírito, enquanto base da organização científica, que a Fenomenologia expõe, do fenômeno da religião. O primeiro estágio da religião na Fenomenologia não é a religião grega, mas aquela que Hegel designa religião natural, ou religião imediata, momento em que a consciência de si do espírito aparece para a consciência de modo totalmente exterior e sem figura. Após analisarmos as contradições internas da religião grega que levaram à sua decadência, refletimos sobre a passagem ao mundo romano, que tornou possível a efetivação do conceito de religião, com a religião manifesta, o cristianismo. O resultado da passagem da religião grega e do mundo romano ao cristianismo, na Fenomenologia, é a necessidade lógica que vincula diretamente o início e o término do movimento de reconciliação da consciência com a consciência de si do espírito. O tema religião permanece uma busca para o pensamento filosófico da época contemporânea. Após a análise da interpretação do fenômeno religioso, contida na passagem da religião grega e do mundo romano ao cristianismo, feita na Fenomenologia, procuramos dialogar as filosofias de Feuerbach, Kierkegaard, e Ricoeur enquanto tentativas de reatualização do sentido da interpretação e compreensão da experiência da religião e suas formas a partir da crítica à organização científica da religião proposta por Hegel.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3658
Aparece nas coleções:PPGFIL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_6089_João Batista Jr.20130605-171913.pdf664.2 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.