Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3805
Título: Variação prosódica de sentenças declarativas e interrogativas na fala de descendentes de imigrantes italianos de Santa Teresa - ES
Autor(es): ANDRADE, P. G.
Orientador: PERES, E. P.
Palavras-chave: Sociolinguística
Prosódia
Frequência Fundamental
Data do documento: 10-Dez-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: ANDRADE, P. G., Variação prosódica de sentenças declarativas e interrogativas na fala de descendentes de imigrantes italianos de Santa Teresa - ES
Resumo: Este estudo sociolinguístico - nas suas vertentes Variacionista e do Contato Linguístico -, tem por finalidade descrever e analisar a entonação de sentenças declarativas e interrogativas em estruturas frasais pronunciadas pelos descendentes de imigrantes italianos residentes na zona urbana do município de Santa Teresa, no estado do Espírito Santo. Este estudo visa: a) verificar a influência da prosódia da língua de imigração italiana no português falado atualmente pelos descendentes desses imigrantes; e b) contribuir para a descrição dos contatos linguísticos no nível prosódico, no estado. Para alcançarmos nossos objetivos, tomamos por metodologia de coleta de dados e instrumentos de análise o Projeto AMPER (Atlas Multimédia Prosódico do Espaço Românico), além dos pressupostos da Teoria da Variação e Mudança Linguística (WEINREICH, LABOV e HERZOG, 1968; LABOV, 1972). Para esta pesquisa, portanto, selecionaram-se, do corpus AMPER, todas as 66 estruturas frasais com expansão no complemento do sintagma verbal, onde se incluem os três tipos de acentuação do português (oxítona, paroxítona e proparoxítona). Tais frases foram pronunciadas por 8 (oito) informantes, divididos nas seguintes variáveis sociais, conforme estudos sociolinguísticos: sexo/gênero (feminino e masculino), faixa etária (8-14 anos e + de 50 anos), com até 04 anos de escolaridade. A partir dos gráficos de entoação das frases pronunciadas pelos informantes, constatou-se que o padrão entoacional de todos os informantes, na análise prosódica dos gráficos, é similar: no sintagma final, a curva entoacional da sentença interrogativa sobe na tônica das palavras oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas; já na sentença declarativa, nesse mesmo sintagma, ela apresenta uma queda nessas tônicas. No entanto, em uma análise perceptiva/visual, ao se compararem crianças e idosos, observamos que, nos informantes do sexo/gênero feminino e masculino, da faixa-etária de 8 a 14 anos, as curvas entoacionais das sentenças declarativas e interrogativas aproximam-se; já nos informantes com mais de 50 anos, as duas curvas separam-se, apresentando uma variação entoacional. Esse resultado aponta para uma possível mudança em progresso.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3805
Aparece nas coleções:PPGEL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9331_Dissertação .pdf2.52 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.