Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3893
Título: "Mapeamento de áreas de sensibilidade ambiental ao derrame de óleo na Baía de Vitória, ES"
Autor(es): CHACALTANA, T. S. A.
Orientador: SANTOS, A. R.
Coorientador: CHACALTANA, J. T. A.
Data do documento: 24-Ago-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CHACALTANA, T. S. A., "Mapeamento de áreas de sensibilidade ambiental ao derrame de óleo na Baía de Vitória, ES"
Resumo: A região de estudo compreendida pelo Canal de acesso ao Porto de Vitória e a Baía de Vitória é de grande importância para a economia do estado do Espírito Santo. Recentemente o Porto proporcionou o aumento da trafegabilidade marítima, impulsionado pela atividade petrolífera. Neste trabalho é realizado um estudo sobre a sensibilidade ambiental da linha de costa ao derrame de óleo, utilizando as metodologias propostas pelos: a) Ministério do Meio Ambiente (MMA) e; b) método de análise hierárquica, (AHP). Foram realizadas campanhas de campo para o reconhecimento da linha de costa usando GPS, coletas de amostras de areia e medidas das declividades das praias. A composição granulométrica das amostras foi obtida por peneiramento e as declividades por meio do uso de balizas de Emery. Foi usada uma imagem do satélite IKONOS para o planejamento das campanhas e delimitação dos diferentes segmentos da linha de costa, gerando a distribuição espacial dos índices de sensibilidade do litoral (ISL). Os dados do ISL para cada segmento da linha de costa, adicionado dos recursos biológicos e socioeconômicos, foram armazenados e processados em um Sistema de Informações Geográficas (SIG). Os dados de cada fator analisado foram convertidos de formato vetorial para formato raster. Foi aplicado o conceito de distancia Euclidiana para cada fator que, posteriormente, foi padronizado. Do comprimento total da linha de costa classificado, 64,69% do litoral recebeu o índice de sensibilidade ISL_10 (manguezais) enquanto que os índices que teve menos evidência foram o ISL_2 (costões rochosos de baixa declividade) e o ISL 3 (Praias dissipativas) com apenas 0,22% da área representada. O ISL_7 (planícies de maré arenosa exposta) não foi encontrado neste estudo.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3893
Aparece nas coleções:PPGEA - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_2652_Dissertacao_18-09-07.pdf5.12 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.