Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4469
Título: Estudos dos efeitos morfofisiológicos da exposição crônica ao tributiestanho sobre o tecido adiposo branco e hepático de ratas
Autor(es): Bertuloso, Bruno Duarte
Orientador: Graceli, Jones Bernardes
Data do documento: 30-Abr-2013
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BERTULOSO, Bruno Duarte. Estudos dos efeitos morfofisiológicos da exposição crônica ao tributiestanho sobre o tecido adiposo branco e hepático de ratas. . 2013. 56 f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências da Saúde, Vitória, 2013.
Resumo: Triorganoestânicos, principalmente o tributilestanho (TBT), são contaminantes ambientais organometálicos, comumente usados em tintas anti-incrustantes para embarcações, que sofrem bioacumulação e, portanto, podem ser encontrados em mamíferos e seres humanos, devido à ingestão de dietas contaminadas. A importância do TBT como desregulador endócrino ambiental e sua toxicidade reprodutiva em diferentes modelos animais é bem conhecida. No entanto, os efeitos adversos sobre a função metabólica de mamíferos não são bem compreendidos. O potencial tóxico do TBT no tecido adiposo branco e hepático de ratas com ciclo reprodutivo regular foi examinado. Ratas Wistar com 12 semanas de idade, pesando aproximadamente 230 g foram divididas em dois grupos: Controle (tratadas com veículo, 0.1% solução etanólica) e TBT (tratadas com tributilestanho, 100ng/Kg/dia). O tratamento durou 15 dias. O TBT aumentou o peso no final do 15º dia de exposição, estimulando os pesos das gorduras parametriais e retroperitoniais. Análise histológica mostrou hipertrofia nestes tecidos adiposos parametrial14,5% e retroperitonial 15,7%. TBT aumentou expressão do receptor de estrogênio alfa em 31,0 % e 46,0 % nas gorduras parametriais e retroperitoniais, respectivamente (p<0.01). Não encontramos alteração dos valores séricos de colesterol total, porém houve um aumento nos valores de TGO (transaminase glutâmico oxalacética) e TGP (transaminase glutâmico pirúvica) (p<0.05) após exposição ao TBT. Encontramos aumento na deposição de gotículas de lipídios (após coloração de Oil red), na fração de granuloma e na expressão da proteína ED1 hepáticos, após exposição ao TBT. Após exposição de 24h em células 3T3L1, TBT (10nM) aumentou, estrogênio (10-7M) reduziu a deposição lipídica (Oil red) vs controle. Estes efeitos foram atenuados após a exposição com o inibidor dos receptores de estrogênio(ICI 182780). Estes dados sugerem que o TBT pode estimular o tecido adiposo branco de forma específica in vivo, via o RE-α e in vitro, via RE , e , alterar a função metabólica hepática, contribuindo para modificação na função metabólica
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4469
Aparece nas coleções:PPGBIO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_6449_Dissertação_Bruno Duarte Bertuloso_2013.pdf1.04 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.