Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4485
Título: Avaliação de polimorfismos dos genes ATM, TP53, BCL2 e TGFb relacionados com o prognóstico de pacientes com carcinoma epidermóide de cabeça e pescoço: relação com radiossensibilidade tumoral
Autor(es): Agostini, Lidiane Pignaton
Orientador: Louro, Iúri Drumond
Coorientador: Conforti, Adriana Madeira Álvares da Silva
Data do documento: 26-Fev-2014
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: Agostini, Lidiane Pignaton. Avaliação de polimorfismos dos genes ATM, TP53, BCL2 e TGFb relacionados com o prognóstico de pacientes com carcinoma epidermóide de cabeça e pescoço: relação com radiossensibilidade tumoral
Resumo: O carcinoma epidermóide de cabeça e pescoço (CECP) é uma causa significativa de morbidade e mortalidade no mundo e está relacionado principalmente com os hábitos etilistas e tabagistas, mas fatores genéticos também estão relacionados. Dependendo do estadiamento do tumor, o tratamento do CECP pode ser multimodal. A radioterapia é um dos tratamentos mais realizados, visto que atua localmente sobre o tumor. Porém, o resultado ao tratamento varia entre os pacientes, de acordo com as características tumorais e individuais. Polimorfismos em genes relacionados ao reparo de DNA, controle do ciclo celular, apoptose e transcrição de citocinas são apontados como marcadores de prognóstico e de radiossensibilidade. Dessa forma, com o intuito de avaliar a relação entre polimorfismos nos genes ATM (rs664143 e rs1801516), TP53 (rs1042522), BCL2 (rs2279115) e TGFβ (rs1800470 e rs1800469) e o prognóstico e a resposta ao tratamento de pacientes com CECP, foi realizada a técnica de PCR-RFLP. Em pacientes com CE oral e de orofaringe submetidos à radioterapia, o genótipo ATM IVS62+60AA aumenta o risco de ocorrência de recidiva local e os alelos BCL2 -938C e TGFβ -509T aumentam a precocidade do óbito. Já em pacientes com CE oral e de orofaringe não submetidos à radioterapia, a homozigose TP53 Pro72 aumenta o risco de óbito. Em pacientes com CE de laringe irradiados, o alelo TGFβ Pro10 foi associado com o risco de ocorrência de recidiva local e óbito, além de influenciar na precocidade desses eventos. O alelo BCL2 -938C também foi relacionado com a precocidade de ocorrência de óbito nesses pacientes. Já o alelo TGFβ -509T foi correlacionado com o aumento do risco de óbito em pacientes com CE de laringe não irradiados. Assim, é possível que esses polimorfismos sejam importantes marcadores genéticos de radiossensibilidade tumoral, sendo candidatos à comporem um perfil genético preditivo de prognóstico em resposta à radioterapia.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4485
Aparece nas coleções:PPGBIO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_7466_Dissertação_Lidiane Pignaton Agostini.pdf1.75 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.