Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4521
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorLouro, Iuri Drumond-
dc.date.accessioned2016-08-29T15:34:42Z-
dc.date.available2016-07-11-
dc.date.available2016-08-29T15:34:42Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/4521-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleAvaliação de marcadores moleculares relacionados ao prognóstico de pacientes com carcinoma epidermóide de cavidade oral e orofaringepor
dc.typedoctoralThesisen
dc.subject.udc61-
dcterms.abstractO câncer de cabeça e pescoço é o quarto em incidência e o quinto em mortalidade na lista das neoplasias mais frequentes no mundo. Para o ano de 2014, são estimados pouco mais de 15 mil novos casos de câncer oral e de orofaringe no Brasil. Assim como outros tumores, o câncer oral e de orofaringe é uma doença multifatorial decorrente de fatores ambientais e genéticos, envolvendo diversas alterações em mecanismos moleculares importantes para a homeostase celular. A investigação de marcadores moleculares envolvidos nesses mecanismos tem sido o objeto de estudo de muitos grupos de pesquisa, uma vez que, apesar do crescente avanço em técnicas terapêuticas, a sobrevida desses pacientes pouco tem aumentado nas ultimas décadas. É sabido que a progressão do tumor depende de que suas células adquirem algumas competências, como por exemplo, evasão da apoptose mediada pelo sistema imunológico, disfunção no controle da proliferação celular, proliferação celular facilitada pela ativação angiogênica, adaptações celulares como resposta à hipóxia tumoral, ativação do mecanismo de sobrevivência celular e modificações epigenéticas dependentes de hipóxia. Considerando sua atuação nesses mecanismos, o presente trabalho teve o objetivo de avaliar o potencial das proteínas FAS, FASL, FGFR4, LEPR, HIF1-a, NDRG1 e JMJD1a e os polimorfismos Gly388Arg no gene FGFR4 e Gln223Arg no gene LEPR, como possíveis marcadores moleculares para as características clinicopatológicas e o prognóstico de pacientes com o carcinoma epidermóide oral e de orofaringe. Nossos resultados mostraram a expressão HIF1-alpha relacionada com a recidiva local da doença e sobrevida livre de doença local nos pacientes submetidos à radioterapia pósoperatória, sendo também relacionada com a microdensidade vascular tumoral. Adicionalmente, a expressão NDRG1 foi diferente quando comparadas as amostras de tecido tumoral e margem cirurgica não tumoral, também mostrando relação com a sobrevida da doença. Com relação ao FGFR4, a expressão e o polimorfismo Gly388Arg mostraram relação com a ocorrência do óbito e com a sobrevida da doença. Contudo, apenas a expressão FGFR4 mostrou relação com com a metástase linfonodal e a ocorrência de recidiva. O perfil FGFR4 proposto mostrou relação com a sobrevida da doença. Sobre o sistema FAS/FASL, ambas expressões mostraram relação com a ocorrência do óbito e o perfil FAS/FASL proposto foi significantemente relacionado com a sobrevida da doença. O polimorfismo Gln223Arg no gene LEPR mostrou relação com a sobrevida livre de doença e da doença específica, enquanto que a expressão LEPR mostrou relação com a metástase linfonodal. Á respeito da proteína JMJD1A, tanto a expressão nuclear quanto a citoplasmática mostraram relação com a metastase linfonodal. Contudo, apenas a expressão nuclear JMJD1A mostrou relação com a ocorrência de recidiva e com a sobrevida da doença. Em conclusão, nossos resultados sugerem que as proteínas e polimorfismos avaliados podem ser utilizados como marcadores moleculares para auxiliar na predição prognóstica de pacientes com carcinoma epidermóide oral e de orofaringe.por
dcterms.abstractHead and neck cancer is the fourth in incidence and the fifth in mortality among the most frequent malignancies worldwide. For 2014, there has been estimated over 15 thousand new oral and oropharynx cancers in Brasil. Similar to other tumors, oral and oropharynx cancer is a multifactorial disease, caused by multiple environmental and genetic factors, involving alterations in molecular pathways and cellular homeostasis. The investigation of molecular markers involved in this process has been the object of my studies, especially because in spite of great advances in the molecular aspects of cancer, little progress has been made in the clinical outcome during the last decades. It is known that tumor progression depends on cellular aquisition of competences, such as apoptosis evasion, cell proliferation disregulation, angiogenic activation, cellular adaptation to hipoxia, cell survival mechanism activation and hypoxia dependent epigenetic changes. Therefore, the present work had the purpose to evaluate the potential of proteins FAS, FASL, FGFR4, LEPR, HIF1-a, NDRG1 and JMJD1a, as well as polymorphisms FGFR4 Gly388Arg and LEPR Gln223Arg, as putative molecular markers for clinicopathological tumor features or oral and oropharynx squamous cell carcinoma. Our results show that HIF1-1 expression was associated with local disease relapse and local disease-free survival in patients who undertook pos-operative radiotherapy and were also related to tumor vascular microdensity. In addition, NDRG1 expression was different in tumor tissue and non tumoral margins, but also showing an association with disease survival. FGFR4 polymorphism and expression showed a relation with death and disease survival. However, FGFR4 expression alone showed an association with lymph node metastasis and relapse. FGFR4 profile showed a relation with disease survival. FAS/FASL expression showed a correlation with death and its proposed profise was related with disease survival. LEPR Gln223Arg polymorphism was realted with disease free survival and disease specific survival, whereas LEPR expression was realted with lymph node metastasis. JMJD1A nuclear and cytoplasmic expression were related with lymph node metastasis. However, only nuclear expression was related with relapse and disease survival. In conclusion, our results suggest that proteins ans polymorphisms can be used as molecular markers to help predict prognosis in oral and oropharynx squamous cell carcinoma.eng
dcterms.creatorSantos, Marcelo-
dcterms.issued2014-08-29-
dcterms.subjectCâncer cabeça e pescoço-
dcterms.subjectPrognóstico-
dcterms.subjectApoptose-
dcterms.subjectProliferação celular-
dcterms.subjectHipóxia-
dcterms.subjectAngiogênese-
dcterms.subjectHead and neck cancer-
dcterms.subjectApoptosis-
dcterms.subjectCell proliferation-
dcterms.subjectHypoxia-
dcterms.subjectAngiogenesis-
dcterms.subjectPrognosis-
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Biotecnologiapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseDoutorado em Biotecnologiapor
dc.contributor.refereePaula, Flávia de-
dc.contributor.refereeNogueira, Breno Valentim-
dc.contributor.refereeGuimarães, Marco Cesar Cunegundes-
dc.contributor.refereeTajara, Eloiza Helena-
dc.contributor.advisor-coSilva-Conforti, Adriana Madeira Álvares-
Aparece nas coleções:PPGBIO - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_7863_Tese_Marcelo dos Santos.pdf3.12 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.