Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4537
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorRibeiro, MA
dc.date.accessioned2016-08-29T15:34:49Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-29T15:34:49Z-
dc.identifier.citationHOFFMANN, A., OCORRÊNCIA E SUSCETIBILIDADE in vitro A TERBINAFINA, CICLOPIROX, CETOCONAZOL E ITRACONAZOL, COM ÊNFASE NA COMBINAÇÃO ENTRE AS DROGAS ANTIFÚNGICAS DE AGENTES DE ONICOMICOSE NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/4537-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleOCORRÊNCIA E SUSCETIBILIDADE in vitro A TERBINAFINA, CICLOPIROX, CETOCONAZOL E ITRACONAZOL, COM ÊNFASE NA COMBINAÇÃO ENTRE AS DROGAS ANTIFÚNGICAS DE AGENTES DE ONICOMICOSE NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO.por
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractAs onicomicoses, infecções fúngicas de unhas, são causadas por fungos filamentosos dermatófitos e não-dermatófitos e leveduras e representam as micoses superficiais mais difíceis de serem diagnosticadas e tratadas. O tratamento é através do uso tópico e/ou oral com drogas antifúngicas e pode ainda envolver a remoção da unha,.. O uso de agentes tópicos concomitante à terapia sistêmica leva à melhores resultados clínicos e micológicos. A eficácia da associação medicamentosa pode estar associada à ação complementar entre as drogas, envolvendo diferentes níveis de penetração ungueal e, dependendo dos antifúngicos, de diferentes alvos de ação na célula fúngica. O objetivo do presente estudo consistiu em estabelecer a ocorrência de fungos filamentosos na etiologia das onicomicoses e a suscetibilidade in vitro destes às drogas terbinafina, ciclopirox olamina, cetoconazol e itraconazol, conforme o documento M38-A2 (2002) do CLSI. Foi tambem avaliada a combinação entre estas drogas antifúngicas através do cálculo do índice fracionário de concentração inibitória (IFCI). Nossos resultados demonstraram que prevalência das onicomicoses, no período de janeiro de 2009 a abril de 2011, foi de 50% dentre as dermatomicoses. A maioria dos isolados (77%) foi obtido de pacientes do sexo feminino e o local de maior acometimento foram as unhas dos pés para ambos os sexos. As unhas das mãos foram mais acometidas por leveduras e as unhas dos pés, por fungos filamentosos. Em geral, os gêneros de fungos filamentosos mais predominantes na etiologia das onicomicoses foram Trichophyton spp (21,7%), Fusarium spp. (11,2%) e Scytalidium spp.(8,4%). Para fungos filamentosos, os testes de suscetibilidade in vitro mostraram que isolados de dermatófitos foram mais sensíveis que isolados do grupo não-dermatófitos. Entre os não-dermatófitos, Fusarium spp. foi menos inibido que Scytalidium spp., que por sua vez, foi menos inibido que o dermatófito Trichophyton spp. Dentre as combinações testadas não houve nenhum efeito antagônico e,, com exceção daquela entre itraconazol e cetoconazol, as demais apresentaram efeito sinérgico sobre algum isolado. A combinação entre drogas apresentou maiores índices de sinergismo para o gênero Scytalidium spp. O melhor resultado para este gênero foi tambem obtido pela combinação itraconazol e terbinafina. Palavras-chave: onicomicoses, dermatófitos, não-dermatófitos, teste de suscetibilidade, combinação de drogas.por
dcterms.creatorHOFFMANN, A.
dcterms.issued2011-08-10
dcterms.subjectOnicomicosespor
dcterms.subjectdermatófitospor
dcterms.subjectnão-dermatófitospor
dcterms.subjectteste de suscepor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Doenças Infecciosaspor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Doenças Infecciosaspor
dc.contributor.refereeSANTOS, D. A.
dc.contributor.refereePALACI, M.
Aparece nas coleções:PPGDI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5034_.pdf1.4 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.