Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4544
Título: Correlação entre sensibilidade in vitro de isolados clínicos de Leishmania chagasi à miltefosina e a resposta ao tratamento.
Autor(es): ROCHA, R. M.
Orientador: LEMOS, E. M.
Data do documento: 12-Abr-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: ROCHA, R. M., Correlação entre sensibilidade in vitro de isolados clínicos de Leishmania chagasi à miltefosina e a resposta ao tratamento.
Resumo: RESUMO: A miltefosina tem sido utilizada com sucesso para o tratamento de LV na Índia, com um índice de cura de 94%. Entretanto, um ensaio clínico realizado pela primeira vez no Brasil demonstrou que cerca de 50% dos pacientes com LV apresentou falha após o tratamento. Uma hipótese para justificar a ocorrência de falha terapêutica em pacientes tratados no Brasil seria a ocorrência de sensibilidade variada à miltefosina entre os isolados de L. chagasi. A variação na sensibilidade à miltefosina tem sido relacionada a diferenças na capacidade de internalização da droga como resultado direto de um defeito na maquinaria de translocação presente na membrana celular da Leishmania, composta por pelo menos duas proteínas, LdMT, e sua subunidade β, LdRos3. Sendo assim, os objetivos desse estudo foram avaliar se há correlação entre a sensibilidade in vitro à miltefosina de isolados de L. chagasi com a resposta ao tratamento, e correlacionar a suscetibilidade à miltefosina com a expressão de proteínas relacionadas à sua maquinaria de translocação. Utilizando ensaios de infecção de macrófagos, os resultados obtidos mostraram que todos os isolados de pacientes curados após o tratamento foram sensíveis in vitro à miltefosina (CI50 2,6 - 7,94 µM), enquanto 10 dos 12 isolados de pacientes que apresentaram falha ao tratamento mostraram-se resistentes (CI50 > 15 µM). Os dois isolados que mostraram-se sensíveis antes do tratamento tornaram-se resistentes, mostrando a aquisição de resistência durante o tratamento. Esses dados sugerem que a falha de tratamento observada em pacientes portadores de LV no Brasil está relacionada a resistência do parasita à droga. Por outro lado, a análise da expressão gênica de proteínas responsáveis pela captação da miltefosina não mostrou diferença entre os isolados sensíveis e resistentes. Diante destes resultados acreditamos que o monitoramento da sensibilidade de isolados clínicos de Leishmania à miltefosina seja de grande relevância para predizer falha de tratamento. Além disso, considerando que testes in vitro de infecção de macrófagos são laboriosos e demorados, a busca de marcadores de resistência utilizando metodologias mais simples e rápidas é importante para facilitar esse monitoramento. Palavras-chave: L. chagasi. Miltefosina. Ensaio in vitro. Expressão gênica.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4544
Aparece nas coleções:PPGDI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5584_.pdf1.24 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.