Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4547
Título: Características imuno-histoquímicas das lesões de hanseníase em pacientes com helmintos intestinais
Autor(es): Ferreira, Cristiani Banhos
Orientador: Rodrigues, Rodrigo Ribeiro
Coorientador: Diniz, Lucia Martins
Palavras-chave: Hanseníase
Helminto
Imunohistoquímica
Imunologia
Data do documento: 24-Ago-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FERREIRA, Cristiani Banhos. Características Imuno-histoquímicas das Lesões de Hanseníase em Pacientes Com Helmintos Intestinais.
Resumo: Introdução: Acredita-se que a imunomodulação determinada pelos nematóides intestinais pode intervir na evolução e na progressão de outras doenças infecciosas, dentre elas a hanseníase. Objetivo: O estudo analisa a presença dos marcadores anti-CD4, anti-CD8, anti-CD20, anti-CD138, anti-TIA-1e anti-FOXP3 em amostras de biópsias de lesões de pacientes com o diagnóstico clínico e histopatológico de hanseníase, com e sem helmintíase, a fim de determinar a influência das helmintíases intestinais no sistema imune. Pacientes e métodos: O estudo foi realizado através da análise retrospectiva de prontuários de pacientes atendidos no Serviço de dermatologia do Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (HUCAM), no período de 01/1995 a 01/2010, com o diagnóstico de hanseníase e que, após a suspeita clínica, foram submetidos à biópsia e ao exame anátomo-patológico de lesão suspeita na pele, e que realizaram exame parasitológico de fezes. Quando identificado um caso de hanseníase, confirmado clinica e histopatologicamente, foram anotados dados referentes ao paciente: idade, sexo, forma clínica da doença, diagnóstico histopatológico, a presença ou ausência de verminose, e a espécie envolvida. Após, foram separados os blocos de parafina das biópsias das lesões cutâneas dos pacientes, os quais posteriormente foram submetidos ao exame imuno-histoquímico para a pesquisa de marcadores CD4, CD8, CD20, CD138, TIA-1, e FOXP3. Resultados: Dos 53 hansenianos analisados, observou-se discreto predomínio do sexo feminino e das formas paucibacilares. Outro achado foi a concentração dos casos paucibacilares nos pacientes do sexo feminino e dos multibacilares no sexo masculino, a mediana de idade foi de 43 anos. Embora sem significância estatística, as verminoses intestinais tiveram ligeiro predomínio nas formas multibacilares, sendo o helminto mais envolvido o Ascaris lumbricoides. As frequências de células FOXP3+ e CD20+ foram maiores entre os hansenianos paucibacilares em relação aos multibacilares, sendo as células CD20+ significativamente mais elevadas nos pacientes multibacilares com helmintos intestinais, quando comparados com os pacientes sem helmintos (p=0,005). Conclusão: O estudo demonstrou frequência significativa do sexo feminino nas formas paucibacilares da hanseníase, além de ligeiro predomínio, embora sem significância estatística, de helmintos nas formas multibacilares da doença com células CD20+, significativamente mais elevadas nos multibacilares com helmintos intestinais. Palavras-chave: Hanseníase; Helmintos; Imuno-histoquímica; Imunologia
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4547
Aparece nas coleções:PPGDI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_5803_.pdf3.02 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.