Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4590
Título: Investigação da expansão geográfica da leishmaniose visceral americana por meio de inquérito de infecção canina em áreas receptivas no Estado do Espírito Santo, Brasil
Autor(es): Pires, Sarah Perpétuo de Castro
Orientador: Falqueto, Aloísio
Coorientador: Fux, Blima
Data do documento: 5-Ago-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PIRES, Sarah Perpétuo de Castro. Investigação da expansão geográfica da leishmaniose visceral americana por meio de inquérito de infecção canina em áreas receptivas no Estado do Espírito Santo, Brasil. 2015. 51 f. Dissertação (Mestrado em Doenças Infecciosas) - Programa de Pós-Graduação em Doenças Infecciosas, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.
Resumo: A leishmaniose visceral é um problema de saúde pública que está presente em 65 países, sendo relatados cerca de 500 mil novos casos anualmente. A expansão geográfica da doença e sua urbanização têm sido relatadas em vários países, inclusive no Brasil. A partir da década de 80, ocorreu de forma mais intensa, a urbanização da leishmaniose visceral americana (LVA) aliada em conjunto a adaptação do vetor Lutzomyia longipalpis, acometendo grandes centros urbanos. A presença do L. longipalpis no Espírito Santo está associada a um conjunto de características geoclimáticas que define as áreas propícias à reprodução e sobrevivência do vetor. A definição destas variáveis, juntamente a um levantamento entomológico dirigido, possibilitou mapear as áreas receptivas à ocorrência da LVA no estado. Em continuidade às ações de vigilância e a fim de verificar indícios de expansão geográfica da doença, foi realizado um inquérito amostral no reservatório canino, nas áreas receptivas dos municípios de João Neiva, Afonso Cláudio, Rio Bananal, Vila Pavão, Mantenópolis e Santa Teresa. O teste rápido DPP® LVC foi adotado como triagem sorológica e o ensaio de ELISA LVC® como método confirmatório, ambos da BioManguinhos. Foram investigados 215 cães, sendo que 91,16% dos animais eram nativos das respectivas áreas avaliadas e 92,10% apresentaram-se assintomáticos. Quanto às análises sorológicas, 213 cães apresentaram resultado não reagente na triagem pelo teste rápido DPP®LVC. No entanto, as duas amostras soro reagentes na triagem revelaram resultado negativo pelo método de ELISA. Portanto, não foi evidenciada a presença ou vestígio de infecção passada por Leishmania infantum chagasi. As áreas receptivas estudadas são localidades rurais que estão fora dos corredores de migração do estado, apesar de serem limítrofes a municípios endêmicos. Os grandes centros urbanos do estado não possuem as características geoclimáticas propícias à ocorrência do vetor da LVA. Assim, no Espírito Santo a expansão geográfica da doença se limitou a áreas rurais, em passado recente, enquanto que, em outros estados brasileiros houve uma intensa urbanização da doença. O monitoramento do reservatório canino deve ser contínuo nos municípios com transmissão da doença, bem como nas áreas receptivas à ocorrência da LVA. O levantamento da fauna flebotomínica e o mapeamento das áreas de risco de transmissão devem ser realizados previamente ao monitoramento do reservatório canino. Palavras-chave: Leishmaniose visceral americana, expansão geográfica, Lutzomyia longipalpis,reservatório canino, Espírito Santo.
Visceral leishmaniasis is a public health problem that affects 65 countries, with 500,000 new cases reported annually. The geographical spread of the disease and its urbanization have been reported in several countries, including Brazil. From the 80s, the urbanization of American visceral leishmaniasis form (AVL) was more intense and the adaptation of the Lutzomyia longipalpis vector affected large cities and capitals in the Northeast, North, Midwest and Southeast. The presence of Lu. longipalpis in the Espírito Santo state is associated with a set of geo-climatic characteristics that defines the suitable areas to vector breeding. Setting these variables along a directed entomological survey made it possible to map the potential areas to the occurrence of AVL in the state. In order to continue the surveillance and to verify geographic disease expansion, a sampling survey was conducted in the canine reservoir in the potential areas of risk of transmission the municipalities of João Neiva, Afonso Claudio, Rio Bananal, Vila Pavão, Mantenópolis and Santa Teresa. The rapid test DPP® LVC was adopted as serological screening and ELISA LVC® test as a confirmatory method, both from Bio-Manguinhos. Out of 215 dogs were investigated, 91.16% were natives from the areas and 92.10% were asymptomatic. Regarding the serological analysis, 213 dogs showed negative result in the rapid screening test DPP® LVC (canine visceral leishmaniasis). However, the two that were reagents in the screening serum samples showed negative results by ELISA. The presence of infection by L. infantum chagasi was not demonstrated. The potential transmission risk ocurs in rural areas that are out of the corridors of state migration, although bordering the endemic municipalities.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4590
Aparece nas coleções:PPGDI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_9053_Mestrado Sarah.pdf1.51 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.