Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4944
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorCECILIO, R. A.
dc.date.accessioned2016-08-29T15:36:52Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-29T15:36:52Z-
dc.identifier.citationSILVA, K. R., "Metodologia para a Estimativa e Espacialização de Variáveis do Balanço Hidríco"por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/4944-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.title"Metodologia para a Estimativa e Espacialização de Variáveis do Balanço Hidríco"por
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractO objetivo deste trabalho foi desenvolver um método que produza estimativas e cartas de aptidão climáticas dos elementos do balanço hídrico para a elaboração de um zoneamento edafoclimático para a cultura da seringueira no Estado do Espírito Santo. Foram utilizados dados de 110 estações pluviométricas com período de medição entre os anos de 1977 a 2006. As temperaturas mensais foram espacializadas utilizando-se as equações desenvolvidas por Castro (2008) e dados do modelo digital de elevação GTOPO30. A espacialização da precipitação mensal se procedeu a partir da prévia seleção dos interpoladores espaciais de maior capacidade preditiva por meio da validação cruzada. Mediante os dados de temperatura e precipitação mensal, foi realizado o balanço hídrico de forma pontual para todos os 110 postos meteorológicos. As variáveis do balanço hídrico foram espacializadas a partir da seleção de interpoladores espaciais de maior capacidade preditiva por meio da validação cruzada. Foi desenvolvida uma metodologia de espacialização das variáveis do balanço hídrico, tendo como parâmetros de entrada mapas de temperatura mensal, precipitação mensal e solos com CADs de 90, 210 e 300 mm. O desempenho dos interpoladores espaciais e da metodologia de espacialização das variáveis do balanço hídrico, foi realizada com as 14 estações observadas, possibilitando assim uma comparação entre métodos de espacialização. Baseado nos mapas temáticos de temperatura média anual, temperatura do mês mais frio, deficiência hídrica (obtidos no melhor método de espacialização) e mapa de solos foi feito uma reclassificação de acordo com as exigências climáticas da espécie e em seguida a sobreposição dessas informações, obtendo assim um mapa de zoneamento edafoclimático para a cultura da seringueira. Os resultados mostraram que o interpolador krigagem foi o mais eficientes para a espacialização das precipitações mensais. A metodologia de espacialização proposta apresentou melhores índices estatísticos para as variáveis do balanço hídrico quando comparado com os métodos tradicionais de interpolação, sendo essa metodologia utilizada para a geração do mapa de deficiência hídrica no zoneamento. Maior parte do estado apresenta restrição térmica ao cultivo da seringueira, com condições favoráveis a esporulação do fungo Microcylus ulei.por
dcterms.creatorSILVA, K. R.
dcterms.issued2010-03-26
dcterms.subjectHevea brasiliensispor
dcterms.subjectaptidão climáticapor
dcterms.subjectMicrocylus uleipor
dcterms.subjectintpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Florestaispor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Ciências Florestaispor
dc.contributor.refereeXAVIER, A. C.
dc.contributor.refereePEZZOPANE, J. E. M.
dc.contributor.refereePEZZOPANE, J. R. M.
dc.contributor.refereeGARCIA, G. O.
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3749_.pdf3.28 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.