Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4973
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorFIEDLER, N. C.
dc.date.accessioned2016-08-29T15:36:57Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-29T15:36:57Z-
dc.identifier.citationALVES, R. T., ANÁLISE TÉCNICA E DE CUSTOS DO TRANSPORTE FLORESTAL RODOVIÁRIOpor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/4973-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleANÁLISE TÉCNICA E DE CUSTOS DO TRANSPORTE FLORESTAL RODOVIÁRIOpor
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractALVES, Rafael Tonetto. Análise técnica e de custos do transporte florestal rodoviário. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) Universidade Federal do Espírito Santo, Jerônimo Monteiro-ES. Orientador: Prof. Dr. Nilton César Fiedler. Coorientador: Prof. Dr. Eduardo da Silva Lopes. O transporte de madeira no Brasil na sua maioria é realizado pelo modal rodoviário e somente os fretes chegam a consumir até 60% do gasto logístico total. A organização, racionalização das operações do transporte florestal rodoviário, identificação dos fatores operacionais e interferência no custo, poderão representar uma grande economia de recursos para as empresas do setor, e com isso aumentar a eficiência operacional. Este trabalho teve por objetivo analisar os fatores técnicos e de custos do transporte rodoviário de madeira, com diferentes composições veiculares, em localidades distintas no vale do Rio Doce, MG. Inicialmente realizou-se o estudo de tempos e movimentos das viagens no período diurno e noturno, bem como o carregamento de madeira no campo e o descarregamento de madeira na fábrica, com o levantamento de informações operacionais. As análises foram divididas em três regionais de produção de madeira com diferentes distâncias de transporte. A regional Rio Doce, com distância média de transporte de 73 km; a regional Guanhães, com distância média de transporte de 135 km; e regional Nova Era, região de Cocais, com distância média de transporte de 74 km. A velocidade média operacional na regional Rio Doce foi de 35 km/h para veículos Tritrem e 41 km/h para veículos Bitrem; eficiência operacional de 83,4% para Tritrem e 89,6% para Bitrem. A velocidade média operacional na regional Guanhães foi de 37 km/h para veículos Tritrem e Rodotrem; eficiência operacional de 89%. A velocidade média operacional na região de Cocais foi de 29 km/h para veículos Bitrem, e eficiência operacional de 88,5%. O comparativo dos custos operacionais mostrou que o transporte de madeira na região de Cocais é o mais caro, custando 0,341 R$/m³/km; seguido de Rio Doce 0,208 R$/m³/km; e Guanhães 0,201 R$/m³/km. O elevado custo do transporte de Cocais tem ligação com o volume médio de transporte por viagem, porém, por critérios legais e operacionais não é possível o uso de veículos com maior capacidade de carga nesta Região. Palavras-chave: transporte florestal rodoviário, custos de transporte, veículos de transporte, fatores operacionais do transporte de madeira.por
dcterms.creatorALVES, R. T.
dcterms.issued2011-08-31
dcterms.subjectansporte florestal rodoviáriopor
dcterms.subjectcustos de transportepor
dcterms.subjectveículopor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Florestaispor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Ciências Florestaispor
dc.contributor.refereePAULA, E. N. S. O.
dc.contributor.refereeLOPES, E. S.
dc.contributor.refereeROSADO, A. M.
dc.contributor.refereeLIMA, J. S. S.
dc.contributor.refereeLEITE, A. M. P.
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5005_.pdf1.79 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.