Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5074
Título: ANÁLISE COMPARATIVA DA COLHEITA FLORESTAL EM REGIMES DE MANEJO DE ALTO FUSTE E TALHADIA
Autor(es): ALVES, E. G.
Orientador: FIEDLER, N. C.
Coorientador: GONCALVES, E. O.
Palavras-chave: 1
Mecanização florestal
2
Rebrota
3
Broto ladrão
4
Co
Data do documento: 15-Set-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: ALVES, E. G., ANÁLISE COMPARATIVA DA COLHEITA FLORESTAL EM REGIMES DE MANEJO DE ALTO FUSTE E TALHADIA
Resumo: Nas empresas florestais é comum a discussão que na colheita em regime de manejo de talhadia ocorre perdas na produtividade das máquinas, porém os trabalhos na literatura são muito escassos para comprovar tal afirmação. Objetivou-se no presente trabalho realizar uma análise comparativa da colheita florestal mecanizada em área de regime de manejo de alto fuste e talhadia, analisando os parâmetros técnicos do colhedor florestal (harvester), juntamente com a influência da brotação lateral para a colheita florestal e os ganhos de produtividade da máquina em diferentes volumes médios por árvore colhida. A pesquisa foi realizada em uma empresa florestal, no município de Aracruz, Espírito Santo. Foram avaliados quatro tratamentos, sendo eles: talhadia com menor produtividade com brotação lateral, talhadia de maior produtividade sem brotação lateral, talhadia de menor produtividade sem brotação lateral, e alto fuste com menor produtividade. Foram utilizadas quatro máquinas do mesmo modelo, com os mesmos operadores, durante quatro dias de trabalho em cada tratamento, sempre no primeiro turno, totalizando 16 repetições em cada tratamento. A comparação das médias foi feita utilizando o teste t, em nível de 5% de probabilidade, bem como análise de box plot para verificar a dispersão e assimetria dos dados. De acordo com os resultados, não houve influência da brotação lateral na produtividade das máquinas, porém, a diferença no número de quedas de corrente durante a colheita com brotações laterais é significativa (2,86 vezes maior). Não observou-se diferença entre a produtividade da máquina em regime de manejo de talhadia e alto fuste, contudo, o número de quedas de corrente para a colheita em talhadia é estatisticamente diferente (1,59 vezes maior). O aumento da produtividade do talhão causou aumento na produtividade da máquina, não havendo diferença estatística entre o número de queda de corrente por volume processado em áreas com diferentes produtividades do talhão. Palavras-chave: mecanização florestal; rebrota; broto ladrão; condução dos brotos; reforma.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5074
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9175_Dissertação-Estevao_final.pdf1.78 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.