Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5081
Título: Avaliação histopatológica e imunoistoquímica de fígados de bovinos cronicamente infectados por Fasciola hepatica
Autor(es): Trivilin, Leonardo Oliveira
Orientador: Martins, Isabella Vilhena Freire
Palavras-chave: Histopatologia veterinária
Imunologia veterinária
Bovino - Doenças
Fígado - Doenças
Distomatose
Parasitologia veterinária
Ruminante
Data do documento: 10-Fev-2010
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A fasciolose é uma doença causada pelo parasito trematodeo Fasciola hepatica que acomete o fígado e vias biliares de muitas espécies de animais. Objetivou-se com esta proposta realizar uma avaliação microscópica de fígados bovinos com fasciolose crônica por meio de alterações histopatológicas causadas pela presença do parasito e realização da imunofenotipagem da resposta imune na espécie bovina, avaliando o grau de resposta e sua influência no desenvolvimento da lesão. Além disso, propôs-se uma classificação do grau da lesão crônica no parênquima hepático conforme a evolução da infecção. Utilizou-se 100 fígados condenados por fasciolose no matadouro frigorífico de Atílio Vivácqua, ES. Coletou-se um fragmento de cada lobo hepático (direito e esquerdo) de cada fígado, que sofreu processamento histotécnico e coloração com hematoxilina-eosina e Tricômico de Masson, além da aplicação da imunoistoquímica com os anticorpos anti-CD3, anti-CD79α e anti-IgG. Avaliou-se diferentes graus e intensidade das lesões inflamatórias e fibróticas, sendo classificadas as amostras em Grau I, II e III. As lesões fibróticas se mostraram mais intensas em relação as inflamatórias e a proposta de categorização histopatológica das lesões hepáticas por fasciolose crônica em bovinos mostrou-se um método valioso de avaliação microscópica, uma vez que permite estabelecer o quadro evolutivo dessa enfermidade. Em relação à lesão fibrótica, no lobo direito e esquerdo as lesões foram mais importantes no espaço porta, sendo mais intensa no lobo esquerdo. Lesão fibrótica vascular foi marcante nas artérias que nas veias e sinusóides, principalmente no lobo esquerdo. Em relação à imunoistoquímica, houve marcação pelos anticorpos CD3+, CD79α+ e IgG+ tanto no lobo direito quanto no lobo esquerdo. A técnica de imunoistoquímica mostrou-se eficaz na caracterização do tipo celular presente na inflamação causada pela infecção por Fasciola hepatica, tornando-se importante no estudo da dinâmica da resposta inflamatória pelos bovinos. Palavras-chave: histopatologia, categorização, imunofenotipagem, fasciolose, ruminantes
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5081
Aparece nas coleções:PPGCV - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3357_Leonardo Trivilin.pdf4.27 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.