Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5102
Título: Comparação da Ozonioterapia Intrarretal Ou em Acupontos Ou meloxicam para Analgesia Preemptiva em Cadelas Submetidas À ovariossalpingohisterectomia
Autor(es): TEIXEIRA, L. R.
Coorientador: LUNA, S. P. L.
Palavras-chave: ozônio
dor
período pós-operatório
cirurgia
cães
Data do documento: 17-Fev-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: TEIXEIRA, L. R., Comparação da Ozonioterapia Intrarretal Ou em Acupontos Ou meloxicam para Analgesia Preemptiva em Cadelas Submetidas À ovariossalpingohisterectomia
Resumo: O emprego da ozonioterapia em protocolos terapêuticos pode reduzir os efeitos adversos de fármacos utilizados na rotina veterinária. No intuito de se avaliar a analgesia pós-operatória promovida pela insuflação retal de ozônio e aplicação de ozônio em acupontos utilizaram-se 24 cadelas hígidas, com idade de 2,4±0,9 anos e peso de 9,9±4,4 Kg, submetidas à ovariossalpingohisterectomia (OSH) eletiva. Os animais forram distribuídos aleatoriamente em três grupos de igual número: GCM administração de meloxicam (0,5 mg/kg IM); GIO insuflação retal de ozônio na concentração de 30 μg/mL (10 mL); e GOA aplicação de ozônio na mesma concentração nos acupontos BP6, E36, F3, IG4 e VB34 (0,5 mL por acuponto). Os animais foram sedados com acepromazina (0,05 mg/kg IM), a anestesia foi induzida com propofol (5 mg/kg IV) e fentanil (bolus 2,5 μg/kg IV) e mantida com isofluorano/O2 para realização da OSH. A analgesia preemptiva foi administrada de acordo com o grupo experimental 10 minutos após a administração de acepromazina. A dor foi mensurada pela escala de dor de Glasgow modificada (EDGM) e escala analógica visual (EAV), no dia anterior à cirurgia, antes da anestesia (basal) e 1, 2, 4, 6, 8, 12 e 24 horas após a extubação. Na ocorrência de escores acima de 3,33 pontos pela EDGM procedeu-se a intervenção analgésica com morfina 0,5 mg/kg IM. A análise estatística consistiu de teste de Kruskal Wallis para avaliação do desempenho mediano dos grupos, teste de Friedman para verificar diferenças entre os momentos ao longo do tempo e análise de perfil. Não houve diferença significante entre o desempenho mediano dos três protocolos analgésicos e não houve diferença significativa entre os momentos em cada grupo em nenhuma escala de dor. Os resultados indicam que o meloxicam, a insuflação retal de ozônio e a aplicação de ozônio nos acupontos BP6, E36, F3, IG4 e VB34 promovem analgesia satisfatória por 24 horas no período pós-operatório de cadelas submetidas à OSH eletiva e minimamente invasiva. Palavras-chave: ozônio, dor, período pós-operatório, cirurgia, cães.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5102
Aparece nas coleções:PPGCV - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5544_LIVIA RAMOS TEIXEIRA20131118-170346.pdf379.58 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.