Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5109
Título: Uso de doppler colorido na avaliação funcional do corpo lúteo em bovinos
Autor(es): Arêas, Vagner Sarmento
Orientador: Viana, João Henrique Moreira
Palavras-chave: Função luteal
Progesterona
Especificidade
Bovinos
Luteal function
Progesterone
Early pregnancy diagnosis
Specificity
Negative predictive value
Cattle
Data do documento: 9-Jul-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Objetivou-se avaliar o padrão vascular luteal entre o 12º e 20º dias pós-inseminação em bovinos e determinar a confiabilidade do uso de Doppler colorido para predizer animais não-gestantes 20 dias após a Inseminação artificial em tempo fixo (IATF), utilizando como único parâmetro a avaliação visual do fluxo sanguíneo no corpo lúteo (FSCL). Foram utilizadas vacas e novilhas mestiças de Holandês x Gir, submetidas a protocolo de IATF, em duas repetições. No primeiro estudo, os animais (n=115) foram monitorados no período de 12 a 20 dias após a primeira IATF, e o corpo lúteo (CL) avaliado a cada 48h utilizando-se um equipamento portátil de ultrasonografia equipado com a função Doppler colorido (MyLab30, Esaote, Italia) e probe linear retal de 7,5 MHz. Foi calculada a área total do CL (ACL), área da cavidade luteal (CCL), área de tecido luteal (ATL, ACL menos área da CCL, se presentes), área do sinal Doppler (AV) e proporção entre AV e ATL (PV). No D30, os animais foram submetidos ao diagnóstico de gestação. A atividade luteal foi monitorada pela determinação da concentração plasmática de progesterona (CPP) no sangue, coletado em todos os dias em que ocorriam os exames ultrassonográficos. Os valores de ACL, CCL, ATL, AV, PV e CPP entre o D12 e D20 foram comparados entre animais posteriormente classificados como gestantes ou não gestantes. Não houve efeito de dia nas variáveis ACL, CCL, ATL, AV, PV e CPP de animais posteriormente diagnosticados como gestantes (P>0,05). Nos animais não gestantes, houve redução (P<0,01) nos parâmetros luteais até o D20. Apesar das medidas realizadas com Doppler colorido (AV e PV) apresentarem elevados CVs (>50%), elas apresentaram diferenças significativas entre animais gestantes e não gestantes mais cedo em relação à ATL (diferenças a partir de D18), a CPP (D18) e ACL (D20). No experimento 2, foram consideradas as avaliações (n=208) realizadas nos animais nas duas baterias de IATF 20 dias após a inseminação (D20). Os animais tiveram o fluxo sanguíneo luteal avaliado por ultrasonografia Doppler, conforme descrito no primeiro experimento. Com base unicamente na avaliação visual e subjetiva do FSCL, os animais foram classificados como gestantes ou não gestantes. No D30, o mesmo operador realizou o diagnóstico de gestação (DG) final. O DG final foi comparado retrospectivamente com o diagnóstico baseado no FSCL e o resultado de cada animal classificado como correto ou incorreto. O número de verdadeiro-positivos (VP), verdadeiro-negativos (VN), falsopositivos (FP) e falso-negativos (FN) foram inseridos em uma tabela de contingência 2x2. A sensibilidade (SEN), especificidade (ESP), valor preditivo positivo (VPP), valor preditivo negativo (VPN) e acurácia/confiabilidade (ACC) do diagnóstico por FSCL foram calculados com as seguintes equações: SEN=VP/(VP+FN); ESP=VN/(FP+VN); VPP=VP/(VP+FP); VPN=VN/(FN+VN); e ACC=(VP+VN)/n total. Variáveis binomiais (taxa de gestação e proporções) foram analisadas pelo teste quiquadrado. Os parâmetros de desempenho do diagnóstico baseado no FSCL foram: SEN=97,1%; ESP=51,9%; VPP=66,9%; VPN=94,7%; e ACC=74,5%. A proporção de FP foi 24,0% (50/208) e a de FN foi 1,4% (3/208). Conclui-se que o uso do Doppler colorido pode resultar em diagnósticos mais precoces e mais acurados de alterações da função luteal no período de reconhecimento materno da gestação e que a avaliação visual do FSCL 20 dias após a IATF pode ser utilizada na identificação de animais não-gestantes para re-sincronização.
The aim of the present study was to evaluate the luteal vascular pattern between days 12 and 20 post insemination, and to establish the accuracy of the use of color Doppler in predicting non-pregnancy 20 days after fixed time artificial insemination (FTAI), using as a single parameter the visual evaluation of corpus luteum blood flow (CLBF). Crossbred Holstein x Gyr cows and heifers, undergoing two FTAI protocols, were used. In the first study, animals (n=115) were monitored between days 12 and 20 after the first FTAI, and corpora lutea (CL) evaluated every 48h using a portable ultrasound device equipped with color Doppler function (MyLab30, Esaote, Italy) and a 7.5 MHz linear rectal probe. The total CL area (TCLA), luteal cavity area (LCA), luteal tissue area (LTA, TCLA minus LCA, if present), Doppler signal area (DSA) and proportion DSA:LTA (PDL). Pregnancy diagnosis was performed on Day 30 (D30), 9 Luteal activity was monitored by plasma progesterone concentration (PPC) in samples colected in the same days of the ultrasound exams. The values of TCLA, LCA, LTA, DSA and PDL from D12 to D20 were compared between animals later diagnosed as pregnant or non-pregnant. There was no day effect on TCLA, LCA, LTA, DSA or PDL in animals later diagnosed as pregnant (P>0.05). In non-pregnant animals, there was a reduction (P<0.01) in all luteal parameters up to D20. Despite of the high VCs of Doppler measures (DSA and PDL), differences between pregnant and non-pregnant animals were detected earlier than in LTA (from D18), the PPC (D18) and CLA (D20). In the second experiment, evaluations (n=208) were performed in the animals in the two sessions of FTAI, on Day 20 (D20) after insemination. Luteal blood flow was evaluated using color Doppler ultrasonography, as previously described. Considering only the visual and subjective evaluation of CLBF the animals were classified as ‘pregnant’ or ‘non pregnant’. Pregnancy diagnose was performed on D30, by the same technician, and retrospectively compared to the presumptive diagnose based in CLBF and result classified as correct or incorrect. The number of true-positive (TP), true-negative (TN), false positive (FP) and false-negative (FN) were compared in a contingency table 2x2. The sensibility (SEN), specificity (SPEC), positive predictive value (PPV), negative predictive value (NPV) and accuracy (ACC) in the diagnose by CLBF were calculated as follows: SEN=TP/(TP+FN); ESP=TN/(FP+TN); PPV=TP/(TP+FP); NPV=TN/(FN+TN); and ACC=(TP+TN)/n. Pregnancy rate and proportions were analyzed by Chi-square. Overall performance of the presumptive diagnose based on CLBF was: SEN=97.1%; SPEC=51.9%; PPV=66.9%; PNV=94.7%; and ACC=74.5%. The proportion of FP was 24.0% (50/208) and of FN 1.4% (3/208). In conclusion, the use of color Doppler provides earlier and more acurate diagnostics of luteal function in the pregnancy recognition period; and the visual evaluation of CLBF 20 days after FTAI can be used to identify and select non-pregnant animals for resynchronization.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5109
Aparece nas coleções:PPGCV - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_6068_DISSERTAÇÃO - VAGNER SARMENTO.pdf6.88 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.