Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5117
Título: Desempenho Ecofisiológico de uma Espécie Dioica (Myrsine Coriacea) em Diferentes Fitofisionomias da Floresta Atlântica.
Autor(es): MOREIRA, V. F.
Orientador: CAVATTE, P. C.
Coorientador: CARRIJO, T. T.
Palavras-chave: Dioicia
Ecofisiologia
Myrsine coriacea
Dimorfismo sexual
Data do documento: 27-Fev-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: MOREIRA, V. F., Desempenho Ecofisiológico de uma Espécie Dioica (Myrsine Coriacea) em Diferentes Fitofisionomias da Floresta Atlântica.
Resumo: Myrsine coriacea é uma planta arbórea dioica, encontrada em diferentes fitofisionomias do bioma Mata Atlântica, principalmente na região sul e sudeste do Brasil. Participa da alimentação de muitas aves regionais e/ou migratória, e apresenta pontecial para uso em projetos de recuperação de áreas degradadas. Diante do exposto, avaliar o desempenho ecofisiológico de indivíduos femininos e masculinos de M. coriacea em diferentes fitofisionomias da Floresta Atlântica. Foram avaliadas características morfológicas, fisiológicas e bioquímicas, de indivíduos femininos e masculinos de M. coriacea localizadas em três fitofisionomias (Restinga, Floresta Ombrófila e Campos de altitude). Indivíduos femininos apresentaram um crescimento em ALT de 34,8% superior aos indivíduos masculinos. Este resultado corresponde ao perfil de plantas dioicas, onde plantas femininas geralmente apresentam maiores taxas de crescimento, focando na produção e manutenção de frutos. Fatores ambientais em Campos de altitude limitaram as respostas fotossintéticas , sem prejudicar o desempenho ecofisiológico de M. coriacea, este comportamento refere-se a respostas obtidas em LA:SA que garantiu a eficiência hidráulica e assim a disposição e alocação de água e nutriente, principalmente em indivíduos femininos, contribuindo para produção e desenvolvimento das plantas. Em contrapartida, plantas masculinas obtiveram melhor desempenho em recursos foliares, o que demonstra que indivíduos masculinos tendem a alocar recursos, principalmente nitrogênio, nas raízes contribuindo para eficiência na condução e produção de folhas, e flores para uma eficaz polinização. Respostas de FLA e CAR foram pertinentes no desempenho dos indivíduos em consequência aos fatores ambientais de cada fitofisionomia. As plantas em Campos de altitude apresentaram uma concentração superior de 41% em relação aos indivíduos de Floresta Ombrófila, e 11% em relação à Restinga. A altitude em Ombrófila, fez com que indivíduos masculinos e femininos acumulassem menos metabolitos em suas folhas. Além disso, as concentrações de FLA e CAR promoveram condições de defesa em M. coriacea, por efeito da variação da temperatura. Em conclusão M. coriacea indicaram diferenças no desempenho ecofisiológico entre os sexos, em razão do trade-off visto em plantas dioicas, 15 desenvolvendo estratégias fundamentais para favorecer a sobrevivência da espécie decorrente às características ambientais de cada área estudada.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5117
Aparece nas coleções:PPGGM - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_8341_Dissertação Final Vinicius Ferreira Moreira.pdf897.13 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.