Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5145
Título: Remodelamento Vascular em Camundongos Ateroscleróticos na Coexistência de Hipertensão Renovascular
Autor(es): NOGUEIRA, B. V.
Data do documento: 31-Mai-2005
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: NOGUEIRA, B. V., Remodelamento Vascular em Camundongos Ateroscleróticos na Coexistência de Hipertensão Renovascular
Resumo: O camundongo knockout para apolipoproteína E (apoE-/-) é um modelo para hipercolesterolemia e aterosclerose, cujas lesões se localizam principalmente nas grandes artérias. Sabe-se também que este processo é afetado pela angiotensina II. Por isto, o objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da aterosclerose e da hipertensão renovascular sobre a morfologia do arco aórtico, um dos sítios das terminações barorreceptoras. Camundongos, machos, 12-14 semanas de idade, C57 e apoE-/- foram submetidos a estenose da artéria renal, para produção da hipertensão 2-rins e 1-clipe (2R1C; n=11 por grupo) e comparados com os respectivos controles (Sham, n=11 por grupo). Após 28 dias, a pressão arterial media (PAM), no animal acordado, foi maior nos grupos C57-2R1C e apoE-2R1C (128±3 e 126±3 mmHg) do que nos seus controles (103±2 e 104±2 mmHg, p<0,01, ANOVA). Em seguida, os animais foram sacrificados e perfundidos, sob pressão equivalente à PAM de cada animal. A área de secção transversa do arco aórtico foi maior no grupo C57-2R1C (0,75±0,05 mm2) do que no grupo C57-Sham (0,65±0,02 mm2, p<0,01, ANOVA), enquanto que no grupo apoE-2R1C verificou-se uma tendência a maiores valores do que nos apoE-Sham (0,73±0,03 vs. 0,68±0,04 mm2) e um aumento significante quando comparado com os C57-Sham (p<0,05, ANOVA). A área de parede vascular também foi maior nos grupos hipertensos (C57: 0,18±0,01 e apoE: 0,19±0,01 mm2) do que nos grupos controles (C57: 0,15±0,01 e apoE: 0,17±0,01 mm2, p<0,05, ANOVA). A área do lúmen apresentou valores que seguiram o mesmo padrão da área de secção transversa. A hipertensão 2R1C por si só leva ao remodelamento positivo do arco aórtico, com aumento da área de secção transversal do vaso e luz vascular. A hipertensão renovascular 2R1C acelera o processo de remodelamento positivo dos animais apoE-/-. A hipertensão 2R1C aumenta ainda mais a área de parede dos animais ateroscleróticos.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5145
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_2117_Dissertação Breno Valentim Nogueira.pdf1.21 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.