Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5146
Título: Angiotensina II intra-renal modula a expressão da óxido nítrico sintase neuronal na hipertensão renovascular 2R1C
Autor(es): Pereira, Thiago de Melo Costa
Orientador: Meyrelles, Silvana dos Santos
Coorientador: Silva, Ian Victor
Data do documento: 20-Dez-2005
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PEREIRA, Thiago de Melo Costa. Angiotensina II intra-renal modula a expressão da óxido nítrico sintase neuronal na hipertensão renovascular 2R1C. 2005. 118 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Fisiológicas) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2005.
Resumo: Em condições fisiológicas, o óxido nítrico (NO) produzido principalmente pela óxido nítrico sintase neuronal (nNOS) exerce uma influência modulatória no fluxo sanguíneo renal. Ainda que alguns estudos demonstrem que a expressão de RNAm da nNOS renal está alterada durante a hipertensão arterial (HA), ainda não é bem conhecido como a expressão protéica da nNOS pode ser modulada mediante baixos níveis de renina e simultaneamente, altos níveis intra-renais de angiotensina II (Ang II), um potente peptídeo vasoconstritor e inibidor da biodisponibilidade de NO. Com a técnica da western blotting avaliamos a influência da HA e da Ang II intra-renal sobre a expressão da enzima nNOS em rins de ratos submetidos à hipertensão renovascular dois rins-1 clipe (2R1C). Mais especificamente, foi investigada a participação de receptores AT1 e do stress oxidativo na modulação da expressão da nNOS bem como a biodisponibilidade de NO por dosagem de GMPc, através do ensaio imunoenzimático. Para tanto, os animais foram divididos em 4 grupos: 2R1C (n=9), 2R1C + dose subpressora de losartan (10 mg/Kg/dia, água de beber; n=4), 2R1C + dose subpressora de tempol (0,2 mmol/Kg/dia, água de beber n=6) e Sham (n=16), apresentando valores de PAM 179 ± 5 mmHg, 140 ± 7 mmHg, 181 ± 10 mmHg e 99 ± 3 mmHg, respectivamente. A expressão da nNOS foi aumentada em rins contralaterais e clipados de animais 2R1C quando comparados ao grupo SHAM (0,43±0,03 vs. 0,14 ± 0,02 u.d.o. e 0,27±0,03 vs. 0,16±0,03 u.d.o. respectivamente), normalizada em ambos rins no grupo 2R1C tratado com losartan quando comparados ao grupo SHAM (0,24 ± 0,01 vs 0,27 ± 0,01 u.d.o e 0,21 ± 0,03 vs.0,29 ± 0,02 u.d.o., respectivamente). No grupo 2R1C tratado com tempol, a expressão da nNOS foi diminuída no rim contralateral (0,27 ± 0,06 vs. 0,19 ± 0,06 u.d.o., respectivamente) mas ainda aumentada no rim clipado quando comparado ao grupo SHAM (0,35 ± 0,08 vs. 0,17 ± 0,03 u.d.o., respectivamente). Nossos resultados indicam que: 1) no modelo de hipertensão renovascular 2R1C, os receptores AT1 e o stress oxidativo parecem ser estímulos primários para o aumento da expressão da nNOS e não a HA propriamente dita; 2) O aumento da expressão da nNOS não reflete diretamente em uma maior biodisponibilidade de NO, seja no rim clipado ou no contralateral; 3) O aumento da expressão da enzima nNOS reflete um dos possíveis mecanismos compensatórios gerados pelo rim a fim de preservar sua homeostase neste modelo de hipertensão.
In physiological conditions, nitric oxide (NO) exerts a modulatory influence on renal blood flow mainly due the neuronal nitric oxide synthase (nNOS) enzyme isoform. Although some studies have demonstrated that the renal nNOS mRNA expression is modified in arterial hypertension (HÁ), it has not yet been shown how nNOS protein expression is modulated by endogenous angiotensin II (Ang II), a vasoconstrictor and a NO function inhibitor. Through the western blotting technique have been evaluate the relative role of HA and Ang II on the nNOS protein expression in the kidneys of renovascular hypertensive rats two-kidneys one clip (2K1C). The specific aim was to investigate the role of AT1 receptors and oxidative stress in modulating nNOS expression and the NO bioavaiability by GMPc quantification for enzymeimmunoassay. Then, the animals were divided in 4 groups: 2K1C (n=9), 2K1C+subpressor dose of losartan (10 mg/Kg/day in drinking water; n=4), 2K1C+subpressor dose of tempol (0.2 mmol/Kg/day in drinking water; n=6), and Sham (n=16), presenting values of MAP 179 ± 5 mmHg, 140 ± 7 mmHg, 181 ± 10 mmHg and 99 ± 3 mmHg, respectively. The nNOS expression was increased in the contralateral and clipped kidneys of the animals 2R1C when compared to SHAM group (0,43±0,03 vs. 0,14 ± 0,02 u.d.o. e 0,27±0,03 vs. 0,16±0,03 u.d.o. respectively), normalized in both kidneys in 2R1C + losartan when compared to SHAM group (0,24 ± 0,01 vs 0,27 ± 0,01 u.d.o e 0,21 ± 0,03 vs.0,29 ± 0,02 u.d.o., respectively). In 2R1C + tempol group, the nNOS expression was decreased in the contralateral kidney (0,27 ± 0,06 vs. 0,19 ± 0,06 u.d.o., respectively) but still increased in the clipped kidney when compared to SHAM group (0,35 ± 0,08 vs. 0,17 ± 0,03 u.d.o., respectively). The present results demonstrate that: 1) In the 2K1C renovascular hypertension model, the AT1 receptors and oxidative stress seem to be primary stimuli for increasing nNOS expression but not the HA per se; 2) The increase in nNOS expression does not reflects directly on the more NO bioavaiability in both kidneys (contralaetral or clipped); 3) The increase in nNOS expression induces a compensatory mechanism in order to maintain the renal homeostasis in this model of hypertension.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5146
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_2131_Dissertação Thiago de Melo da Costa Pereira.pdf207.16 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.