Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5206
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorFELISBERTO, S. A.
dc.date.accessioned2016-08-29T15:38:16Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-29T15:38:16Z-
dc.identifier.citationPEREIRA, T. A., Distribuição Espacial da Comunidade Perifítica no Rio São Mateus, Espírito Santo, Brasil.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/5206-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleDistribuição Espacial da Comunidade Perifítica no Rio São Mateus, Espírito Santo, Brasil.por
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractO rio São Mateus, principal manancial de abastecimento da cidade de São Mateus, vem sendo usado como receptor de efluentes domésticos e industriais. O presente estudo objetivou avaliar a estrutura, dinâmica da comunidade perifítica e as características limnológicas de um trecho do rio São Mateus, submetido a diferentes condições ambientais e verificar as diferenças dos dados bióticos e abióticos entre as estações amostrais. Foram realizadas quatro amostragens com intervalos semanais nos meses de setembro e outubro de 2010 (08,15, 22/09 e 01/10) em seis estações amostrais: duas a montante da cidade de São Mateus (E1, E2), duas ao longo da cidade (E3, E4) e duas a jusante da cidade (E5, E6). Para a caracterização limnológica foram determinados: transparência da água, limite inferior da zona eufótica, profundidade máxima, condutividade elétrica, turbidez, pH, concentração dos sólidos totais em suspensão e os principais nutrientes (nitrogênio total, nitrito, nitrato, íon amônio, silicatos, ortofosfato e fósforo total). O perifíton foi coletado de raízes de Eichhornia crassipes (Mart.) Solms. removido por raspagem, com pincéis e jatos de água destilada e fixado e preservado com solução de formalina a 4% (análises qualitativa) e com solução de lugol acético a 0,5% (análise quantitativa). A estrutura da comunidade perifítica foi avaliada com base nos seus principais atributos: riqueza de táxons, densidade total e por Classe, diversidade específica, equitabilidade, abundância, dominância, A biomassa perifítica foi estimada através da clorofila a, biovolume, massa seca, massa seca livre de cinzas e cinzas. O teste não paramétrico Kruskall-Wallis foi aplicado para verificar diferenças significativas (p = 0,05) entre os valores médios das variáveis bióticas e abióticas ao longo das estações amostrais. A Análise multivariada em Componentes Principais (ACP) foi utilizada para verificar a variação longitudinal em relação às variáveis abióticas. A influência das variáveis abióticas sobre as variáveis bióticas foi avaliada através da análise de correspondência canônica (ACC), com significância pelo teste de Monte Carlo (p = 0,05). O rio São Mateus caracterizou-se por apresentar águas neutras a levemente alcalinas em todas as estações amostrais. Turbidez, condutividade elétrica, sólidos totais em suspensão, ortofosfato, fósforo total, nitrito, íon amônio, nitrogênio total das estações amostrais a jusante da cidade diferiram daquelas das demais estações, conforme evidenciado na Análise de Componentes Principais (ACP). Maior riqueza de táxon e densidade total da comunidade perifitica também foram registradas nas estações amostrais ao longo e a jusante da cidade de São Mateus, com maior contribuição das Classes Bacillariophyceae (riqueza) e Cyanophyceae (densidade total) em todas as estações amostrais. Maiores valores de clorofila a foram registrados em E1, sendo que os valores médios de clorofila a da estação E2 diferiram de E1, E3 e E4, enquanto o biovolume total apresentou valores mais elevados em E4 e E3. Bacillariophyceae e Cyanophyceae foram as classes que mais contribuíram para o biovolume total. Quanto aos valores de massa seca perifítica, a parte inorgânica (cinzas) se apresentou mais elevada, principalmente nas estações amostrais ao longo e a jusante da cidade de São Mateus, a parte inorgânica da estação E2 diferiu de E6. No rio São Mateus houve aumento nos valores das principais variáveis ambientais das estações ao longo da cidade e principalmente a jusante, a biomassa e a densidade perifítica foram influenciadas pelos nutrientes (fósforo e nitrogênio), assim como pela turbidez, como constatado pela CCA, sugerindo que a entrada de material alóctone, proveniente principalmente das atividades antrópicas (piscicultura intensiva e lançamento de efluentes domésticos e industriais) alteram a qualidade da água (como evidenciado na PCA), assim como as comunidades presentes.por
dcterms.creatorPEREIRA, T. A.
dcterms.issued2012-02-14
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropicalpor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Biodiversidade Tropicalpor
dc.contributor.refereeLuiz Fernando Duboc
dc.contributor.refereeRODRIGUES, L.
dc.contributor.advisor-coFERNANDES, V. O.
Aparece nas coleções:PPGBT - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5354_Dissertação final - Thais de Almeida Pereira.pdf3.07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.