Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5214
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorFERNANDES, V. O.
dc.date.accessioned2016-08-29T15:38:18Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-29T15:38:18Z-
dc.identifier.citationMamão, M. A., Ecologia do Fitoplâncton de um Rio Tropical (rio São Mateus, ES)por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/5214-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleEcologia do Fitoplâncton de um Rio Tropical (rio São Mateus, ES)por
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractOs múltiplos usos dos ecossistemas fluviais podem provocar a ruptura do seu gradiente contínuo natural. Políticas de biomonitoramento e/ou detecção de impactos antrópicos são necessários para a manutenção da qualidade da água dos rios. O presente estudo foi desenvolvido no rio São Mateus, localizado na região norte do estado do Espírito Santo, Brasil, e teve como objetivos: 1) avaliar o gradiente de continuidade de um ambiente lótico tropical através das variáveis limnológicas em trecho com usos múltiplos; 2) avaliar a conectividade entre as estações amostrais através da estrutura da comunidade fitoplanctônica e verificar quais variáveis abióticas mais influenciaram esta comunidade; 3) avaliar o uso de grupos funcionais como indicadores da qualidade ecológica do rio São Mateus. Seis estações amostrais em um trecho do rio São Mateus foram determinadas: duas a montante da cidade (SM01, SM02), duas ao longo da cidade (SM03 e SM04) e duas imediatamente a jusante da cidade (SM05 e SM06). Amostras de água foram coletadas na sub-superfície da coluna dágua para análises físicas, química, físico-química e da comunidade fitoplanctônica. As estações SM05 e SM06, submetidas à influência da piscicultura intensiva e ao lançamento de grande volume de efluentes, respectivamente, apresentaram valores mais elevados da maioria das variáveis limnológicas analisadas e foram consideradas mesotróficas, enquanto as outras estações foram consideradas oligotróficas. As Análises de Componentes Principais (ACP) separaram as estações SM05 e SM06 das demais estações relacionando-as com elevados valores das variáveis limnológicas e do índice de estado trófico. As estações amostrais SM05 e SM06 apresentaram a maior biomassa e dominância de Polymyxus coronalis Bailey. Além disso, essas duas estações apresentaram maior similaridade florística. Foram identificados nove grupos funcionais: X1, X2, Y, LO, D, TB, TD, W2 e C. As Análises de Correspondência Canônica (ACC) separou as estações SM05 e SM06 relacionando-as com elevada biomassa de Bacillariophyceae e Cryptophyceae, biomassa total, com o grupo funcional D e as variáveis como nitrogênio total, condutividade elétrica, sólidos totais em suspensão, ortofosfato e o índice de estado trófico. Dessa forma, concluí-se que, principalmente, o lançamento de efluentes domésticos e industriais e a piscicultura intensiva resultaram no rompimento de continuidade no rio São Mateus.por
dcterms.creatorMamão, M. A.
dcterms.issued2012-02-15
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropicalpor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Biodiversidade Tropicalpor
dc.contributor.refereeSILVA, L. H. S.
dc.contributor.refereeDIAS JUNIOR, C.
dc.contributor.advisor-coFELISBERTO, S. A.
Aparece nas coleções:PPGBT - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5371_versao final Mônica Mamão.pdf3.97 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.