Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5309
Título: Avaliação do perfil químico e atividades biológicas de Myrcíaria Strigipes O. Berg (Myrtaceae)
Autor(es): Faitanin, Rafael Destefani
Orientador: Kitagawa, Rodrigo Rezende
Jamal, Claudia Masrouah
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FAITANIN, Rafael Destefani. Avaliação do perfil químico e atividades biológicas de Myrcíaria Strigipes O. Berg (Myrtaceae). 2016. 114 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2016.
Resumo: O Brasil é o detentor da maior e mais rica diversidade genética em espécies de plantas, entretanto, a grande maioria carece de estudos sob o ponto de vista químico-biológico. Myrciaria strigipes O. Berg (Myrtaceae) é uma espécie nativa conhecida popularmente como cambucá da praia e cabeludinha da praia e usada na medicina tradicional para cãibra, edema e dor de barriga. O objetivo deste trabalho foi estudar a composição química e avaliar a toxicidade e as atividades antimicrobiana, antioxidante, trombolítica e de inibição das enzimas α-amilase, α-glicosidase e tirosinase de M. strigipes. O perfil químico foi obtido através de triagem fitoquímica clássica, da análise em Cromatografia Líquida de Alta Eficiência e de técnicas usuais de fracionamento/purificação. A toxicidade foi avaliada frente às larvas de Artemia salina Leach.,e a atividade antimicrobiana contra Staphylococcus aureus, Escherichia coli e Candida albicans. A atividade antioxidante foi mensurada frente aos radicais sintéticos DPPH e ABTS. A atividade trombolítica in vitro avaliou a capacidade dos extratos promoverem lise de coágulos. As atividades de inibição das enzimas α-amilase, α-glicosidase e tirosinase foram determinadas utilizando métodos espectrofotométricos in vitro. A análise fitoquímica preliminar dos extratos etanólicos das folhas (EEF) e dos galhos (EEG) indicou a presença de flavonoides, cumarinas, alcaloides, saponinas, taninos, triterpenos, esteroides e antraquinonas, sendo esta detectada somente no EEF. Foram isolados e/ou identificados do EEF cinco compostos da classe dos terpenos, sendo quatro triterpenos pentacíclicos (friedelina, 28-hidroxifriedelina, glutinol e ácido ursólico) e um esteroide tetracíclico (β-sitosterol), e três compostos fenólicos (isoquercitrina, hiperosídeo e ácido elágico). O EEF demonstrou leve toxicidade (DL50= 648,17 µg/mL) e somente o EEG apresentou atividade antimicrobiana, inibindo o crescimento de S. aureus. Os EEF e EEG apresentaram capacidade antioxidante e promissora atividade de inibição sobre a α-glicosidase, CE50 de 40,66 e 18,52 µg/mL, respectivamente, enquanto o controle positivo demonstrou CE50 de 37,30 µg/mL. O presente trabalho relatou, pela primeira vez, aspectos químicos e atividades biológicas da espécie M. strigipes, e os resultados demonstram a necessidade de mais estudos para um maior conhecimento químico e esclarecimentos quanto ao(s) mecanismo(s) e substância(s) responsáveis pelas atividades demonstradas por essa espécie.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5309
Aparece nas coleções:PPGCFAR – Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_8530_2016_Dissertação_Rafael_Destefani_Faitanin.pdf2.59 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.