Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5381
Título: Estratégia Saúde da Família e Internações Por Condições Sensíveis a Atenção Ambulatorial (csaa): Relação Produzida no Campo da Prática Profissional.
Autor(es): BIRCHLER, C. M.
Orientador: LIMA, R. C. D.
Palavras-chave: Saúde da Família
Internações evitáveis
Data do documento: 9-Nov-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BIRCHLER, C. M., Estratégia Saúde da Família e Internações Por Condições Sensíveis a Atenção Ambulatorial (csaa): Relação Produzida no Campo da Prática Profissional.
Resumo: A Saúde da Família, objeto do presente estudo, enquanto Estratégia de organização da Atenção Primária à Saúde, vem consolidando-se como porta de entrada para os serviços assistenciais em um território adstrito. No entanto, vários desafios permeiam sua trajetória no Estado do Espírito Santo, levando-nos a traçar como objetivos: avaliar a Estratégia Saúde da Família na microrregião de Guaçuí; analisar a tendência das internações por CSAA em menores de 5 anos no período de 2000 a 2005 e; analisar como as equipes de Saúde da Família se organizam de forma a criar estratégias que provoquem impactos nas internações por CSAA. A definição pela microrregião de Guaçuí como cenário da pesquisa se deu em virtude desta ter cerca de 100% de cobertura populacional na Estratégia, propiciando a correlação com o estudo das internações por condições sensíveis à atenção ambulatorial (CSAA), o indicador. Devido à complexidade dos fatores que envolvem objeto e objetivos, optamos por trabalhar com a triangulação de técnicas que foram se complementando no decorrer do estudo. Trata-se de um estudo descritivo de abordagem qualitativa, que incorpora componente quantitativo analisado estatisticamente, e componentes qualitativos abordados com a utilização do fluxograma analisador e entrevista de grupo. Os resultados apontaram a gastroenterite como a principal causa de internação em menores de 5 anos. Este resultado nos levou a inserir o debate sobre os determinantes sociais e sua influência no processo de adoecimento. A pesquisa de campo acrescentou subsídios para a análise, possibilitando constatar a falta de estratégias voltadas para o acompanhamento deste agravo, a fragilidade dos vínculos junto à população e a necessidade de implementação de políticas públicas, que extrapolam o setor saúde.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5381
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_2518_2005_Celia Marcia Birchler.pdf2.23 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.