Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5416
Título: Associação do Perfil Socioeconômico do Bairros de Residência e a Ocorrência de Hiv em Gestantes e Transmissão Vertical: Vitória, 2000 a 2006
Autor(es): CERQUEIRA, A. C. B.
Orientador: MACIEL, E. L. N.
Coorientador: MIRANDA, A. E.
Data do documento: 15-Mai-2009
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CERQUEIRA, A. C. B., Associação do Perfil Socioeconômico do Bairros de Residência e a Ocorrência de Hiv em Gestantes e Transmissão Vertical: Vitória, 2000 a 2006
Resumo: Objetivo: Associar o perfil socioeconômico dos bairros de residência com a prevalência de infecção por HIV em gestantes e a transmissão vertical (TV). Métodos: Foi realizado estudo ecológico exploratório. Os dados foram obtidos junto a Secretaria Municipal de Saúde, utilizando o banco de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação de gestante HIV positivo e criança exposta, e o de Aids em menores de treze anos contaminados por TV, residentes em Vitória e notificados entre 2000 e 2006. A análise das informações socioeconômicas foi realizada por meio de clusters de acordo com o Índice de Qualidade Urbana (IQU), já existente e organizado pela Prefeitura de Vitória. Foi realizada avaliação da completude dos dados, classificados como Excelente, Regular ou Ruim. A taxa de prevalência foi calculada com base nas notificações de gestante HIV e dos nascidos vivos por bairro; o coeficiente de TV foi calculado com base nas notificações de Aids em menores de treze anos contaminados por TV pelo número de gestantes infectadas. Foi utilizado o programa Terraview 3.2.0 para análise espacial, e o Modelo de Poisson para verificar a associação entre o IQU e a prevalência de HIV em gestantes. Resultados: Foram notificadas 137 gestantes infectadas pelo HIV e 14 crianças por TV. Observou-se subnotificação de casos de gestante infectada, visto que sete mães de crianças infectadas pelo HIV não foram localizadas na base de dados. A prevalência de infecção em gestantes no período foi de 0,44%, semelhante ao encontrado em estudos nacionais. Já o coeficiente de TV (9,7%) apresentou-se elevado. Verificou-se associação entre as variáveis IQU e prevalência de infecção de HIV em gestantes, quanto menor o IQU do bairro maior a prevalência. Conclusões: Os bairros com menor qualidade urbana devem ser priorizados quanto ao planejamento de ações para redução da TV. Foi possível constatar a necessidade de capacitação para profissionais envolvidos com a Vigilância Epidemiológica da Aids, principalmente no que diz respeito ao preenchimento da ficha de notificação/investigação, visto a baixa completude verificada das variáveis estudadas. Palavras chaves: Vigilância Epidemiológica, gestante infectada, transmissão vertical, qualidade de vida, HIV.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5416
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3291_2007_Anne Caroline.pdf1.56 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.