Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5432
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorLIMA, R. C. D.
dc.date.accessioned2016-08-30T10:50:07Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-30T10:50:07Z-
dc.identifier.citationSCHWARTZ, T. D., A PROMOÇÃO DA SÁUDE E A PREVENÇÃO DE DOENÇAS COMO DISPOSITIVOS DE MUDANÇAS NAS PRÁTICAS DE CUIDADO NA SAÚDE SUPLEMENTAR NO ESPÍRITO SANTOpor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/5432-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleA PROMOÇÃO DA SÁUDE E A PREVENÇÃO DE DOENÇAS COMO DISPOSITIVOS DE MUDANÇAS NAS PRÁTICAS DE CUIDADO NA SAÚDE SUPLEMENTAR NO ESPÍRITO SANTOpor
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractResumo 1: O Sistema Suplementar de Saúde e o Sistema Único de Saúde (SUS) estão interligados e interdependentes. Quando esses sistemas seguem na mesma direção, há uma colaboração produtiva no que se refere a políticas públicas e mecanismos racionais de incorporação de tecnologia. A promoção e a prevenção há muito estão em pauta no SUS, evidenciando a necessidade do aprofundamento de como essas ações se estruturam na saúde suplementar. Esta pesquisa é um estudo de caso que privilegia a abordagem qualitativa e objetiva analisar o modo como se produz a atenção dos programas de promoção da saúde e prevenção de doenças em uma empresa de Autogestão, observando se esses atos estão sendo operados como dispositivos biopolíticos. Utiliza os discursos dos trabalhadores de saúde dos programas, coletados a partir de roteiros semiestruturados e desvendados na técnica de análise de conteúdo. Nos resultados é mostrada a organização do processo de trabalho e como o programa se estrutura com ações integrais e forte adesão dos profissionais a esse modelo. As ações dos programas têm atuado como dispositivos biopolíticos, ditando formas de viver. Esses dispositivos biopolíticos, quando exercidos de maneira coerente, contribuem para a autonomia dos indivíduos e para a racionalização de custos da operadora. Resumo 2: As ações de promoção da saúde e prevenção de doenças emergem na pauta da saúde suplementar decorrentes, sobretudo, dos elevados custos gerados pelo modelo assistencial vigente no setor, evidenciando a necessidade dessas ações serem comandadas por um processo de trabalho cuidador, e que evite a fragmentação do cuidado. Esta pesquisa é um estudo de caso que privilegia a abordagem qualitativa, com o objetivo de analisar o modo como se produz a atenção dos programas de promoção da saúde e prevenção de doenças em uma empresa na modalidade Medicina de Grupo, observando se esses atos estão atuando como dispositivos biopolíticos. Utiliza os discursos dos trabalhadores de saúde inseridos nos programas e de um beneficiário que para os objetivos deste estudo se produziu como caso traçador. Os dados foram coletados a partir de roteiros semiestruturados, gravados em voz e utilizou-se a técnica de análise de conteúdo. Os resultados mostram a organização do processo de trabalho, no qual os associados são diferenciados de acordo com o agravo. Esta proposta observou movimentos, mesmo ainda limitados, de novas formas de produzir saúde, prevalecendo o modelo médico hegemônico guiado pelas regras de mercado, com ações predominantemente disciplinares e focadas na comunicação em saúde.por
dcterms.creatorSCHWARTZ, T. D.
dcterms.issued2009-12-07
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Saúde Coletivapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Saúde Coletivapor
dc.contributor.refereeFRANCO, T. B.
dc.contributor.refereeMACIEL, E. L. N.
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3759_.pdf819.89 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.