Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5440
Título: Estudo da Associação das Condições Periodontais e o Espessamento do Complexo Intimal de Carótidas
Autor(es): BATISTA, R. M.
Orientador: OLIVEIRA, A. E.
Coorientador: ROSETTI, E. P.
Palavras-chave: Periodontia
Aterosclerose
Doença das Artérias Carótidas
Data do documento: 11-Ago-2010
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BATISTA, R. M., Estudo da Associação das Condições Periodontais e o Espessamento do Complexo Intimal de Carótidas
Resumo: Esta dissertação é apresentada sob a forma de artigos. Os trabalhos apresentados neste estudo discutiram a atuação da equipe interdisciplinar nos estudos que se propõem a pesquisar a associação das condições bucais e condições sistêmicas, a heterogeneidade dos índices periodontais utilizados nos estudos epidemiológicos e a associação entre a doença periodontal (DP) e o espessamento do complexo intimal (EMI) de carótida. O primeiro artigo é uma revisão da literatura que se propõe a discutir o papel da interdisciplinaridade nas pesquisas que estudam a possível associação das condições bucais e suas implicações sistêmicas. O segundo artigo, uma análise transversal das medidas clínicas periodontais feita para testar quatro modelos de protocolos de medida de boca-parciais. O terceiro, uma revisão sistemática sobre DP e aterosclerose subclínica. O quarto é um estudo transversal de associação de medidas clínicas da DP e o EMI de carótida. O primeiro estudo verificou que é necessário a indissociabilidade dos aspectos de saúde bucal e de saúde geral do indivíduo, ressaltando a importância do conhecimento através de troca de informações. Assim, a informação possibilita o encontro das diversas atuações profissionais por meio de ações integradas mais objetivas e eficazes na busca por uma informação de qualidade que retrate de maneira mais favorável possível as reais condições de saúde do indivíduo e da coletividade. O segundo artigo enfatizou nos seus achados que é desejável que mais estudos, idealmente todos, examinem todas as faces de todos os dentes mesmo que esta metodologia seja obviamente a mais trabalhosa, mas revelaria com mais precisão o quadro epidemiológico da DP entre os indivíduos adultos. A revisão sistemática mostrou a ausência de controle sobre variáveis de confusão em muitos estudos, e uma heterogeneidade metodológica em relação às formas de mensuração da DP e aos desfechos de aterosclerose subclínica investigados. As limitações metodológicas na maioria dos estudos não permitem apropriadas conclusões sobre a real associação entre a DP e a aterosclerose subclínica. Um estudo em participantes do projeto ELSA -ES com idade entre 35 e 74 anos (n=220) foi realizado para verificar a associação das medidas clínicas da DP e o EMI de carótida. Os resultados clínicos mostraram que os níveis de espessamento da camada íntima-média de carótida foram maiores nos grupos com DP grave do que nos grupos sem DP. Os casos de espessamento da íntima-média de carótida apresentaram uma tendência de maiores níveis de DP grave em relação aos sem DP quando a medida de mais de 30% dos sítios com nível clínico de inserção ≥ 5 mm foi empregada. A DP não aumentou o risco para aterosclerose subclínica após a regressão multivariável, já que a idade foi um fator de confundimento presente no momento do ajuste. Concluiu-se que a DP não foi um fator de risco para a aterosclerose subclínica em adultos do projeto ELSA-ES.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5440
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4049_.pdf1.11 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.