Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5449
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMOLINA, M. C. B.
dc.date.accessioned2016-08-30T10:50:09Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-30T10:50:09Z-
dc.identifier.citationNASCIMENTO, L. R., "Sensibilidade e Especifidade no Diagnostico da Hipertensão a Partir de Diferentes Protocolos de Aferição da Pressão Arterial".por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/5449-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.title"Sensibilidade e Especifidade no Diagnostico da Hipertensão a Partir de Diferentes Protocolos de Aferição da Pressão Arterial".por
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractIntrodução: A medida da pressão arterial (PA) fora do consultório médico, utilizando corretamente os protocolos pré-estabelecidos, apresenta várias vantagens sobre o método tradicionalmente utilizado na clinica para o diagnóstico da hipertensão arterial. Objetivo: Avaliar a sensibilidade e a especificidade de três diferentes protocolos de medida da pressão arterial para o diagnóstico da hipertensão. Metodologia: Estudo transversal com amostra não probabilística de 250 funcionários públicos de uma instituição de ensino superior. Os participantes tiveram suas PA aferidas através de três métodos: medida clínica (MCPA), automedida (AMPA) e medida ambulatorial por 24 horas (MAPA). Foram levantados ainda dados antropométricos e sócio-demográficos através de entrevista. Os métodos foram confrontados e analisados em relação ao MAPA (padrão-ouro) e verificadas possíveis associação às demais variáveis. Resultados: A AMPA apresentou maior sensibilidade (S = 84%; IC95% 75-93) e acurácia global (AG = 0,817; p<0,001) no diagnóstico da hipertensão que a MCPA (S = 79%; IC95% 73-86 e AG = 0,815; p<0,001). Apesar da forte correlação com o método de MAPA durante a vigília (r = 0,843; p<0,001), a AMPA não mostrou boa concordância com o referido método para a medida sistólica (viés = 5,82; IC95% 4,49- 7,15). Conclusão: A AMPA, pode ser utilizada para auxiliar no diagnóstico da hipertensão arterial, no que tange a suspeita desse agravo, não podendo substituir a MCPA, que ainda é o método mais fidedigno.por
dcterms.creatorNASCIMENTO, L. R.
dcterms.issued2010-07-26
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Saúde Coletivapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Saúde Coletivapor
dc.contributor.refereeCADE, N. V.
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4587_2008_LARISSA RANGEL NASCIMENTO_DISSERTACAO.pdf540.24 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.