Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5514
Título: Prevalência de infecção latente pelo Mycobacterium Tuberculosis entre profissionais de saúde da Atenção Básica no Município de Vitória, ES
Autor(es): LACERDA, T. C.
Orientador: MACIEL, E. L. N.
Data do documento: 27-Mai-2013
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: LACERDA, T. C., Prevalência de infecção latente pelo Mycobacterium Tuberculosis entre profissionais de saúde da Atenção Básica no Município de Vitória, ES
Resumo: Apesar de ser uma das mais importantes causas de morbimortalidade no mundo, a Tuberculose (TB) continua sendo um problema negligenciado nos países em desenvolvimento e um importante agravo na Saúde Pública, evidenciado pela sua transcendência, magnitude e vulnerabilidade. Além disso, a coinfecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e o aparecimento de cepas resistentes configuramse em novas barreiras e importantes desafios a serem enfrentados mundialmente. Entre os grupos de risco de infecção, os profissionais da área da saúde são dos mais vulneráveis, como já demonstrado em algumas publicações. Em 2004, o Ministério da Saúde enfatizou a integração das atividades do Programa Nacional de Controle da TB (PNCT) para todos os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) seguindo suas diretrizes de horizontalização e descentralização no combate à TB. Trata-se de um estudo de corte transversal, no qual as informações foram obtidas por meio de um questionário, com questões abertas e fechadas, sobre dados sociodemográficos, ocupacionais, clínicos, de exposição e conhecimento sobre tuberculose. Foi aplicado o teste tuberculínico avaliado após 72 horas, por profissional capacitado, e seu resultado baseou-se em pontos de corte positivos de 10mm e de 5mm de enduração. Participaram 226 voluntários e resultou em uma perda de 2,1%. Foi obtida uma prevalência de positividade ao teste de 40,7% e de 54,9% para ambos os pontos de corte. A associação entre o intervalo de tempo de exercício ≥ 5 anos e o TST para o ponto de corte de 5mm mostrou-se estatisticamente significante (p = 0). Apesar da tendência de declínio na incidência da TB, conclui-se que os profissionais de saúde estão expostos a essa doença. Diante do desinteresse do Ente Público e, consequentemente, no impacto da biossegurança, há necessidade de que sejam reforçadas politicamente ações efetivas de impactos na Saúde do Trabalhador da Atenção Primária voltadas para esses profissionais.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5514
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_6492_2011_Thamy Lacerda.pdf2.25 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.